Domingo, 25 de Fevereiro de 2018

HORÁRIO DE VERÃO

Relógios devem ser adiantados uma hora

16 OUT 2010Por bruno grubertt00h:00



A partir da zero hora de hoje, Mato Grosso do Sul, outros nove Estados e o Distrito Federal começam a adotar o horário de verão, quando os relógios terão de ser adiantados em uma hora. A mudança, criada para que a luminosidade do sol seja mais bem aproveitada nos dias de verão e gerar economia de energia (veja mais na página 8), também pode ocasionar incômodos ao organismo e até agravar problemas de saúde. Pouco pode ser feito para evitar os prejuízos causados pelas horas de sono a menos.
Há quem goste da mudança e, ao mesmo tempo, quem se incomode bastante com ela. A maior reclamação diz respeito à dificuldade de acordar cedo e o cansaço provocado, principalmente, nos primeiros dias de relógio adiantado. “O horário de verão tem uma série de efeitos psicológicos e físicos para o organismo”, resume o médico cardiologista Marcos Tiguman.
Redução de uma hora no tempo de sono, alterações hormonais e prejuízo à boa alimentação são algumas das alterações no  funcionamento do organismo que podem contribuir para o surgimento de doenças. “Se você não descansa, fica estressado, pode ter a pressão arterial alterada, o que pode até causar uma arritmia cardíaca. Nas pessoas que já estão em tratamento, (os problemas cardíacos) podem se agravar e outras que não têm, podem vir a ter problemas de saúde”, alertou o cardiologista.
Desta vez, o horário de verão durará quatro meses — de amanhã até o dia 20 de fevereiro do ano que vem. Apesar de algumas pessoas se acostumarem com o horário de verão logo nas primeiras semanas, nem todos têm a mesma sorte. “Pode-se acostumar ou não. A demora para isso varia de pessoa para pessoa”, afirmou o médico. Há pouco o que se fazer para minimizar os problemas, segundo o médico. “Tentar dormir ou descansar quando não se está cansado também pode ser ruim para o organismo”, orientou.

Histórico
Esta é a 36ª edição do horário de verão no Brasil. A medida foi instituída pela primeira vez entre 1931 e 1932, pelo então Presidente Getúlio Vargas, e durou quase seis meses. Posteriormente, foi retomado em períodos não consecutivos, nos anos de 1949 até 1953, de 1963 até 1968, e nos tempos atuais a partir de 1985. Desde 2008 ficou definido que o horário deve começar no terceiro domingo de outubro e terminar no terceiro de fevereiro.

Leia Também