Domingo, 18 de Fevereiro de 2018

INFRAESTRUTURA

Reformas não evitam apagão no aeroporto

29 NOV 2010Por bruno grubertt03h:20

Apesar de pequenas mudanças executadas no Aeroporto Internacional de Campo Grande pela Infraero não deverão reduzir problemas causados pela falta de infraestrutura para abrigar os cerca de três mil passageiros, entre embarques e desembarques diariamente. Esta situação só poderá ser solucionada com a ampliação e reforma previstas em parceria da Infraero com o Governo do Estado e organizaçõas militares.

Falta de vagas de estacionamento, existência de apenas uma esteira para recuperação das bagagens, falta de espaço e cadeiras nas salas de embarque são alguns dos problemas enfrentados pelos usuários do Aeroporto Internacional de Campo Grande, onde as chegadas e partidas totalizam 60 voos diários.

O investimento em infraestrutura não consegue acompanhar o acentuado aumento do número de passageiros. Nos primeiros dez meses de 2010, passaram pelo aeroporto da Capital 1.031.377 passageiros, número 24% maior do que o registrado no mesmo período do ano passado.

Melhorias
Alguns ajustes emergenciais já foram feitos na estrutura do terminal de passageiros, como a reforma da sala de embarque e melhor aproveitamento do espaço interno. Há previsão de que o restaurante seja transferido e aquela área usada para ampliação da sala de desembarque.

Além disso, as empresas de táxi aéreo e setores administrativos da Infraero podem ser retirados de dentro do terminal, para que o espaço abrigue outra parte da sala de embarque e mais cadeiras para abrigar os passageiros.

Apesar de todas essas pequenas reformas, feitas de forma emergencial e paliativa, o terminal de passageiros não tem mais espaço para outras ampliações. Somente um novo projeto de reforma será capaz de solucionar os problemas.

Outra medida emergencial é a contratação de mais funcionários para os serviços operacionais, de segurança e manutenção, que devem ser incorporados ao quadro atual entre o fim de dezembro e o começo de janeiro. A Infraero já instalou novos bebedouros, adquiriu outros 500 carrinhos para bagagens e telas de LCD, usadas para informar os horários de partida e chegada dos voos. Ainda assim, nem todas estão em pleno funcionamento.

Para minimizar a falta de vagas no estacionamento, os carros oficiais e das locadoras foram posicionados em outra área, o que liberou mais 13% do estacionamento para os usuários.

Ano passado, foi firmado um acordo entre os governos, a Infraero, a Força Aérea e o Exército para permitir as obras de ampliação. Atualmente, o Aeroporto Internacional de Campo Grande tem área de 1,08 mil hectares. Com as reformas previstas e aquisição da nova área, será aumentada para 2,41 mil hectares. As obras, que deverão custar R$ 250 milhões, preveem uma nova pista de 3 mil metros de comprimento por 45 de largura.

Leia Também