quarta, 18 de julho de 2018

Reforma Tributária corre risco de ficar para depois das eleições

28 JUN 2008Por 17h:30
     

Prioridade do governo, a reforma tributária corre o risco de não ser votada no Congresso Nacional antes das eleições municipais de outubro. O relator da proposta, deputado Sandro Mabel (PMDB-GO), já avisou: Só vou colocar o relatório na comissão para ser votado com a certeza de que temos condições de votar os dois turnos no Plenário da Câmara, logo em seguida, disse. Mabel conversou com o presidente da Câmara, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), que vai levar o tema para a reunião de líderes marcada para a próxima terça-feira (1º).

Uma reforma tributária é uma assunto complexo, tem muitos pontos que precisam andar todos juntos. Nós não podemos votar um relatório e deixá-lo no vazio aí por três, quatro meses, até todo mundo voltar das eleições, justificou o relator.

 

O presidente da Câmara aceitou a missão de ponderar junto aos líderes a votação da reforma antes do recesso de julho, mas não será uma tarefa fácil. Ao longo da última semana, as lideranças dos Democratas e do PSDB na Câmara já deram sinais de que o assunto será motivo do novo embate entre oposição e governo, após o arrefecimento das discussões sobre a Contribuição Social para a Saúde (CSS). Se o acordo for construído na terça, apresento o relatório na quinta-feira na comissão, afirmou Mabel. (com informações da Agência Brasil)

Leia Também