Sexta, 23 de Fevereiro de 2018

Reflorestamento fica com 72% de empréstimos

30 SET 2010Por 13h:44

Em franca expansão, o setor florestal abocanhou 72,5% dos recursos do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO) liberados ontem, em reunião do Conselho Estadual de Investimentos Financiáveis pelo fundo. Do total de R$ 178,2 milhões destinados a 31 projetos, R$ 129,2 milhões (72,5%) ficaram com empresas que investirão, principalmente, no plantio de eucalipto com finalidade industrial.
O maior valor, de R$ 101,1 milhões, foi aprovado para a Niobe Florestal – empresa que assumiu em Ribas do Rio Pardo as fazendas Verde Mar 1 e 2, que eram da empresa Vetorial Siderurgia. Também receberam recursos do FCO para investimentos no setor florestal os municípios de Paranaíba, Brasilândia, Água Clara, Chapadão do Sul e Figueirão.
Outro projeto que se destacou foi o de ampliação da indústria Soprano Eletrometalúrgica e Hidráulica, em Campo Grande. A empresa de fechaduras, cadeados e materiais hidráulicos  que veio do Rio Grande do Sul e se instalou na Capital há dois anos conseguiu R$ 35,8 milhões envolvendo FCO e outras fontes de financiamento.
A Copasul, em Naviraí, recebeu R$ 6,1 milhões para ampliar a unidade de fiação de algodão. No setor de comércio e serviços, oito cartas-consulta pedindo modernização em diversas atividades somaram R$ 2,6 milhões nos municípios de Brasilândia, Porto Murtinho, São Gabriel do Oeste, Caarapó, Ponta Porã, Campo Grande e Três Lagoas.

Pastagens
Para 12 projetos de formação de pastagens, aquisição de matrizes e de máquinas agrícolas, o FCO destinará R$ 4,5 milhões. Sete projetos ficaram suspensos, aguardando mais dados, num total de R$ 4,3 milhões, e outros três não foram aprovados por não se enquadrarem às regras do Fundo, somando R$ 1,2 milhão.
O FCO dispõe neste ano de R$ 1,126 bilhão para aplicação em projetos de custeio e investimento. “Ainda há recursos para atender demandas em análise e novos projetos, mesmo com o que foi aprovado hoje”, afirmou o secretário executivo do conselho do FCO, Jerônimo Alves Chaves. Até o dia 20 deste mês, foram liberados R$ 660 milhões no Estado. (AM)

Leia Também