segunda, 16 de julho de 2018

Redes sociais superam pornografia, dizem estudos

5 JUN 2010Por 14h:30
     

Além dos múltiplos ataques recebidos, os sites pornográficos também estão em baixa entre os internautas, dizem estudos. Esse declínio está ligado à explosão das redes sociais e aparece registrado em uma enxurrada de pesquisas feitas por empresas de medição de audiência.

A mais recente foi feita pela Ukom (sigla em inglês para Companhia de Medição Online do Reino Unido) e mostrou que, das 884 milhões de horas gastas na rede pelos britânicos no último mês de abril, 22,7% foram em redes sociais. A fatia dos sites adultos foi de 2,7% durante o mesmo período.

Nos EUA, Bill Tancer, chefe de pesquisas globais da Hitwise, levantou essa tese em 2008 com "Click: o que milhões de pessoas fazem on-line e por que isso é importante" (ed. Globo, R$ 36). Outros institutos passaram a produzir dados parecidos.

Uma rápida visita ao Alexa, que faz rankings dos sites mais populares da rede, parece confirmar a tese. As redes sociais sempre estão à frente dos sites pornô. (com informações da Folhaonline)

Leia Também