segunda, 16 de julho de 2018

Recorde de quase 30 anos é quebrado no Maria Lenk

9 MAI 2009Por 17h:55
     

        

DA REDAÇÃO

 O público presente ao Parque Aquático Maria Lenk presenciou um fato histórico para a natação brasileira neste sábado. Exatos 29 anos e um mês depois, caiu o recorde sul-americano de Djan Madruga nos 800 metros livre. O autor da façanha foi o baiano Luiz Rogério Arapiraca, de 22 anos, que conquistou o título brasileiro com o tempo de 7min58s20, mais de um segundo mais rápido do que a marca anterior de 7min59s85.
        "Estou muito honrado. Era um recorde que eu almejava há muito tempo. É um sonho realizado", comemorou o nadador ao deixar a piscina e depois de ser abraçado por Madruga. "O Djan sempre foi um cara em quem eu me espelhei. Sempre procurei copiar o seu estilo. Ele era muito versátil e finalizava as provas com muita força. Tentei repetir isso."
        Djan Madruga parecia feliz, apesar de perder uma marca que lhe pertenceu durante tantos anos. Ele elogiou muito Luiz Rogério e disse que esperava que o recorde fosse batido ainda nesta sexta-feira. "Eu sabia que a marca poderia cair. A prova tinha nadadores muito fortes. Mesmo assim, foi um feito e tanto. A barreira dos 8 minutos nos 800 metros é muito difícil de ser superada até os dias de hoje", comentou.
        Luiz Rogério sequer era nascido quando Madruga estabeleceu o antigo recorde sul-americano em Austin, nos Estados Unidos, em 9 de abril de 1980. O atleta contou que sabia que a marca estava a seu alcance depois de vencer os 1.500 metros com o tempo de 15min15s94, novo recorde brasileiro e do campeonato. "Depois do meu desempenho nos 1.500, sabia que poderia chegar nos 800 metros. Resolvi entrar e dar tudo de mim", disse o campeão. (informações do Estadão)

        

Leia Também