sexta, 20 de julho de 2018

POLÍCIA

Reconstituição de crime que matou jovem será hoje no Tarumã

1 DEZ 2010Por VIVIANNE NUNES00h:02

Está marcada para logo mais às 9h, a reconstituição do crime que tirou a vida do jovem Paulo Henrique Rodrigues, 17 anos, em fevereiro deste ano. Essa é a segunda vez que a reconstituição do crime é marcada, a primeira não pôde ser realizada por conta da falta de segurança aos réus Marcelo de Souza Ribeiro, 19 anos e Alessandro da Anunciação, 27 anos, acusados pelo crime. É que na mesma ocasião, policiais realizavam operação pente fino no Presídio de Segurança Máxima da Capital.

Paulinho foi atingido por um tiro no coração quando os bandidos tentavam fugir da Mercearia Vida, de propriedade do avô. Ele estava em frente ao estabelecimento quando foi baleado e morreu no local. Agora, a defesa dos bandidos quer alegar que o cime não teve a intenção de matar e assim, abrandar a pena.

Peritos criminais já estiveram no local para medições e a inteção, segundo familiares que estavam no local no momento da chegada dos policiais, é que a reconstituição não demore.

Da mesma maneira que ocorreu no dia 09 de novembro, quando foi marcada a reconstituição pela primeira vez, moradores do bairro Jardim Tarumã, onde o crime ocorreu, amigos e familiares já posicionaram cartazes de protesto pedindo Justiça pela morte do adolescente.

O crime

A morte de Paulinho ocorreu no dia 17 de fevereiro deste ano e agora o Ministério Público Estadual entrou com o pedido de reconstituição do crime, na tentativa de provar que a morte de Paulinho não ocorreu de forma intensional. Um dia após a morte de Paulinho a polícia prendeu Marcelo de Souza Ribeiro, 19 anos e Alessandro da Anunciação, 27 anos. O tiro teria partido de uma arma calibre 45 utilizada por Marcelo. Na ocasião, a dupla levou R$ 600 do estabelecimento.

Alessandro esperava por Marcelo em uma motocicleta em frente ao mercado. Ele estava evadido do sistema penitenciário e possui passagens pela polícia por roubo, homicídio e estelionato. A ficha de Marcelo tem receptação, porte ilegal de arma e roubo. O revólver utilizado no crime foi encontrado enterrado no quintal da casa de Alessando, no bairro das Perdizes.

 

Leia Também