Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, segunda, 10 de dezembro de 2018

Reclamações contra bancos aumentaram 30,5% no Estado

16 ABR 2010Por 21h:05

ADRIANA MOLINA

 

O número de reclamações envolvendo agências bancárias cresceu 30,8% em Mato Grosso do Sul no mês de março, em relação a fevereiro. Queixas referentes principalmente a cobranças indevidas fizeram com que o número de atendimentos envolvendo bancos na Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor de Mato Grosso do Sul (Procon-MS) saltasse de 133 para 174 nos dois últimos meses.

Dados do Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec) revelam ainda que no primeiro trimestre de 2010 houve acréscimo de 9,23% se comparado ao mesmo período do ano passado. De janeiro a março de 2009, foram 433 reclamações contra instituições financeiras, enquanto neste ano, foram 473.

"O serviço bancário hoje lidera o ranking de reclamações, ultrapassando, inclusive, o de telefonia, que sempre foi líder", afirmou o superintendente do Procon-MS, Lamartine Ribeiro. Segundo ele, no topo das queixas estão as cobranças indevidas, que respondem por cerca de 75% dos atendimentos, seguido da revisão de endividamento e juros, e da demora nas filas de agências bancárias.

A maioria dos casos levados até o órgão, cerca de 70%, são solucionados no ato da reclamação, apenas com contato telefônico; outros 15% são transformados em processos administrativos, que demoram cerca de 20 dias por conta do agendamento de audiência; e os 15% restantes acabam em ação judicial, encaminhada ao juizado de pequenas causas. Os percentuais revelam que, no total, 85% das queixas são resolvidas ainda no Procon.

 

Líderes

No ranking estadual das instituições financeiras que mais são alvo de reclamações, o Banco Bradesco lidera no primeiro trimestre de 2010, com 14,6% ou 69 dos 473 atendimentos envolvendo esse setor de serviços em Mato Grosso do Sul. Apenas em março, a instituição obteve 43,5% de suas reclamações no trimestre, foram 30.

No mesmo mês, o banco é responsável por 17,2% dos 174 atendimentos do tipo no Procon-MS. Em seguida, aparece o Banco do Brasil, com 26 queixas em março e 57 no acumulado do ano. E o Banco Itaú ocupa a terceira posição na lista dos mais reclamados, com 21 queixas em março e 56 no trimestre. (Veja a tabela com os 10 mais)

E no ranking de reclamações gerais do Procon-MS, o Banco Bradesco aparece em 6º lugar em fevereiro, ficando atrás de empresas de telefonia, concessionária de água e venda de eletrodomésticos.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também