Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

AUDITORES FISCAIS

Receita Federal silencia sobre suposta trama

5 MAR 14 - 00h:00DA REDAÇÃO

A corregedoria da Receita Federal, em Brasília, não se manifestou quanto à sindicância aberta contra os auditores e fiscais da instituição detidos em novembro de 2008, em Corumbá, por suspeitas de corrupção. Os oito implicados no caso foram soltos uma semana depois da Vulcano, operação da Polícia Federal que desvendou o caso, por meio de escutas telefônicas, entre outros atos investigatórios, segundo reportagem na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

Investigação conduzida pela PF, conhecida como “Vulcano”, e denúncia proposta pelo Ministério Público Federal (MPF) revelam que duas quadrilhas pagavam propina aos servidores e, em troca, legalizavam cargas de mercadorias trazidas do exterior por Corumbá.

Os bandos, segundo a apuração, agiam no mercado de roupas, bebidas e combustível. Doleiros clandestinos contribuíam com a quadrilha, com empréstimos de
dinheiro.

“Informamos que não temos divulgação da Corregedoria da Receita Federal sobre esse assunto”, afirmou, por e-mail, a assessoria de imprensa, em Brasília, quando questionada sobre a investigação administrativa acerca dos auditores e fiscais.

Segundo a reportagem de Celso Bejarano, em diálogos telefônicos captados por meio de autorização judicial, Ali Ismail, morador de Corumbá, é acionado por supostos líderes da quadrilha, que pedem emprestadas altas somas em dólares, para pagar cargas que seguiam da Bolívia ao interior de São Paulo e que atravessavam pela fiscalização da Receita Federal, em Corumbá, perto da fronteira com a Bolívia.

Em alguns casos, segundo a conversa, o dinheiro era para pagar propina aos servidores federais. 
 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Três deputados de MS querem investigar Moro e Dallagnol
VOCÊ CONCORDA

Três deputados de MS querem investigar Moro e Dallagnol

ECONOMIA

Alta do PIB de 2019 permanece em 0,87%, calcula Focus

Agências da Caixa ficam abertas até mais tarde hoje
FGTS

Agências terão mais duas hora de expediente hoje

Justiça garante R$ 150 milhões em acordo para pagar trabalhadores
PROBLEMA ANTIGO

Justiça garante R$ 150 milhões em acordo para pagar trabalhadores

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião