PROPAGANDA

Ratinho é multado pela justiça eleitoral

Ratinho é multado pela justiça eleitoral
04/08/2012 09:19 - TERRA


A juíza Eleitoral Renata Estorilho Baganha, do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR), condenou, ontem (03), o empresário e apresentador Carlos Roberto Massa, o Ratinho, ao pagamento de multa no valor de R$ 20 mil por propaganda eleitoral antecipada em favor do filho, o candidato a prefeito de Curitiba, deputado federal Ratinho Junior (PSC).

A denúncia foi protocolada pelo Ministério Público Eleitoral com base em entrevista concedida pelo apresentador em maio deste ano, quando declarou o voto no filho e "previu" a vitória do candidato do PSC na eleição. A entrevista foi exibida pela Rede Massa de Televisão, de propriedade do apresentador.

A defesa do apresentador, que alegou ter se posicionado como pai, não foi aceita pela juíza. "Ocorre que tal fato é irrelevante aos autos. A condição de pai não é excludente de responsabilidade pela realização de propaganda antecipada, de forma alguma! Pode até justificar porque deixou de expor apenas a sua opinião jornalística, passando a defender o candidato de forma efusiva! Compreensível, porém, punível", destacou no despacho.

Apesar de multar Ratinho, a juíza julgou improcedente a denúncia contra o candidato e a emissora de televisão. Ela concluiu que nem Ratinho Junior nem a Rede Massa (retransmissora do SBT no Paraná, de propriedade de Ratinho) tinham conhecimento antecipado das declarações.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".