Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

QUEIXA

Ramon magoado com fãs do Vasco antes da partida

Ramon magoado com fãs do Vasco antes da partida
19/08/2012 00:00 - terra


Ramon entrará na partida contra o Vasco, neste domingo, pelo Campeonato Brasileiro, com uma motivação maior para vencer o rival. Atual titular do Flamengo, o lateral esquerdo mostra mágoa da torcida pela forma pela qual foi tratado depois de sua saída do clube cruzmaltino e lembra que fez de tudo para jogar este clássico.

"Entro sim (mais motivado). Fiz de tudo para não tomar cartão contra o Palmeiras", afirmou Ramon, citando a derrota para o clube alviverde na última quarta-feira, quando poderia ter recebido um amarelo e ficado suspenso para o clássico.

"Acho que faltou um pouco de respeito comigo pela saída. Tenho amizade dentro do clube. Não me respeitaram. Teve disse me disse. Pelo que eu fiz, ajudei a equipe a sair de uma situação ruim. O respeito teria de ser maior. Mas não me importo com eles, mas com o Flamengo", completou o lateral.

Ramon chegou ao Vasco em 2009 e ajudou o clube a voltar à elite do futebol brasileiro conseguindo boas atuações. Em 2011, participou da campanha vitoriosa do Vasco na Copa do Brasil, mas acabou saindo de forma conturbada. A torcida não estava gostando da postura do jogador durante as partidas por acreditar que ele estaria já negociado.

"A minha relação é com a torcida. Pela falta de respeito. Por não saber o que aconteceu. Deduzir por pessoas de lá de dentro. Independente do clube que eu jogar, fui campeão lá, vou ser respeitado. Podem gostar de mim ou não, tem de ter respeito", explicou Ramon, que adiantou ainda que, por ter muita amizade com vários jogadores do Vasco, não vai se importar em trocar camisas com os antigos companheiros.

"Isso sim. Acredito que alguma coisa que levamos é amizade. Tenho muitos amigos no Vasco. Como o Carlos Alberto que me ajudou muito, o Felipe Bastos e o Dedé", encerrou.

Felpuda


Acontecimentos policiais de grande repercussão deverão refletir seriamente na jornada de uns e de outros. Os cortes nos “tentáculos do polvo” os deixaram sem respaldo para enfrentar a maratona que há tempos participam, e com sucesso. Ao mesmo tempo que ficaram sem o aconchego financeiro, afastaram-se do abraço, até então muito amigo, preocupados com o ditado popular que afirma:  “Diga-me com quem andas e eu te direi quem és”.