Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

conflito

rã negociará fim da guerra 'inevitavelmente', diz chanceler russo

16 JAN 14 - 23h:00FOLHA PRESS

O chanceler russo, Serguei Lavrov, pressionou hoje para que o Irã faça parte dos diálogos para a paz na Síria, durante visita a Moscou do ministro das Relações Exteriores do país, Javad Zarif.

Mais tarde, o chanceler do regime sírio, Walid al-Moallem, também se juntou à reunião. Rússia e Síria são dois dos maiores aliados do ditador Bashar al-Assad.

Lavrov afirmou que o Irã "deve e inevitavelmente se tornará parte dos complexos esforços para resolver o problema sírio". Ele terá uma reunião em separado com Moallem na sexta.
Moscou já havia declarado sua vontade de permitir a participação do Irã na conferência sobre a guerra civil síria que começa na próxima quarta, na cidade suíça de Montreux.

Os EUA e outras potências ocidentais, adversários do regime de Assad, se opõem ao envolvimento de Teerã no evento.

Na quarta passada, o chanceler do Irã já havia sido recebido por Assad, num encontro destinado a reiterar o apoio iraniano ao regime de Damasco e forçar uma discussão sobre sua entrada na conferência.

O regime sírio mandou uma carta à ONU confirmando sua participação na rodada, mas não foram informadas sob quais condições ela foi acordada.

As perspectivas de um acordo efetivo que saia da reunião porém, parecem pequenas, já que nenhuma das partes parece disposta a negociação. Enquanto o Ocidente e a oposição síria exigem eleições livres sem a participação de Assad, o regime e seus aliados são contra a retirada do ditador do cenário político.
 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

CIÊNCIA

Pesquisadores demonstram beneficios do lítio para idosos com Alzheimer

Confira o seu astral para esta segunda-feira
OSCAR QUIROGA

Confira o seu astral para esta segunda-feira

CORREIO DO ESTADO

Confira o editorial desta segunda-feira: "Menos conflitos, mais esperança"

ARTIGO

Luiz Fernando Mirault Pinto: "As cinzas mais escuras"

Físico e Administrador

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião