Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CONTROLE

Queda vertiginosa dos casos de dengue na Capital

Queda vertiginosa dos casos de dengue na Capital
20/03/2014 08:32 - LUCIA MOREL


Os casos de dengue em Campo Grande apresentaram queda vertiginosa nos primeiros meses de 2014, em relação a 2013 - ano em que a cidade viveu uma epidemia. De 34.426 notificações registradas em janeiro e fevereiro do ano passado, neste ano a quantidade não passa de 1.316 no mesmo período. Nos 17 primeiros dias de março, são 107 notificações contra 5.376 nos 30 deias de março do ano passado.

Especialistas afirmam que após um período de epidemia - 2013 - tendência é de que os casos reduzam no ano seguinte. O que ocorreu.
O índice de infestação, que é o Levantamento Rápido do Índice de Infestação de Aedes aegypti (LIRAa), realizado a cada dois meses, também apresentou queda entre janeiro e agora. De oito bairros da capital infestados e onde a situação era considerada grave, apenas dois estão em risco.

O distrito de Anhanduí e a Vila Nasser são as duas localidades de Campo Grande onde o índice está acima de 3,9% a cada 100 mil habitantes. Conforme o Ministério da Saúde, o ideal é que fique em até 1%. Mas 57 bairros continuam em situação de alertta, com índice de infestação entre 1% e 3,9%.

Felpuda


O desgaste de antigas lideranças nacionais, com reflexo em nível local, é a maior preocupação dos dirigentes de partidos para as eleições deste ano, que terá reflexo em 2022. Em épocas passadas, essas figurinhas cruzavam os céus do País para visitarem os municípios e pedirem que a população votasse em seus ungidos. Agora, com pendências judiciais e poder enfraquecido, dificilmente seriam convidadas. A pandemia, que resultou no isolamento social, foi a pá de cal.