Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

domingo, 24 de fevereiro de 2019 - 02h14min

Quatro morrem em acidentes perto da Capital

2 FEV 10 - 23h:30
Quatro pessoas morreram ontem em acidentes ocorridos em duas rodovias, nas proximidades da área urbana de Campo Grande. Pela manhã, Adão José de Oliveira, 33 anos, e Sílvio Firmino da Silva, 21 anos, foram as vítimas do capotamento da Hilux em que estavam, na MS-060 (veja matéria abaixo). Por volta de 16 horas, na BR-163, saída para São Paulo, morreram o presidente da Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar em Dourados, cabo Francisco Veloso Lopes, e o também cabo Adevaldo Alves. Francisco era condutor do Gol, de placa de Dourados, e ocupado por Adevaldo e mais dois colegas deles: o cabo Aparecido Santos Lima e o soldado Oscar Castelo. O carro de passeio seguia no sentido interior/Capital e bateu de frente com um Mercedes- Benz que trafegava na pista contrária. Franscisco morreu no local e Adevaldo, ao dar entrada na Santa Casa. O caminhão era dirigido por Alan Fagner Berdusco, 32 anos. Ele teve cortes na cabeça e, antes de ser socorrido para atendimento médico, contou que o acidente aconteceu porque o Gol invadiu a pista. Os três policiais militares que sobreviveram foram encaminhados em estado grave pelo Corpo de Bombeiros para a Santa Casa. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o Gol aquaplanou e o motorista perdeu o controle da direção. Chovia muito no momento da colisão. O policial ainda conseguiu desviar de um bitrem, mas acabou batendo no Mercedes. O caminhão foi parar em uma área com lama, fora da pista, a cerca de 100 metros do ponto de colisão. O eixo frontal ficou destruído. Alan estava com o veículo vazio e seguia para Nova Alvorada do Sul, onde seria carregado com materiais recicláveis. A frente do Gol e a lateral esquerda ficaram danificadas e o capô amassou. Os policiais da reserva seguiam para a Capital, onde iriam se juntar a colegas para viajarem, em um ônibus, a Brasília. Na capital federal, iriam pressionar o governo para aprovação do Projeto de Emenda Constitucional (PEC) que iguala o salário dos policiais militares em todo o País. O presidente da Associação de Cabos e Soldados em Mato Grosso do Sul, Mello Irmão, disse que a viagem prossegue mesmo “com o coração apertado”. Ele declara que os colegas seguiam para defender a categoria e é em nome deles e das famílias que a ida a Brasília foi mantida.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Promotoria abre inquérito após shopping de SP pedir autorização para apreender meninos de rua

BRASIL

Chanceler diz que ação na Venezuela não tem caráter intervencionista

Mãos que falam:
LUIS PEDRO SCALISE

Mãos que falam: "Em tempos de Dieta"

VENEZUELA

Maduro discursa para apoiadores e critica ajuda humanitária

Mais Lidas