Sábado, 17 de Fevereiro de 2018

Quatro brasileiros estavam no avião que se acidentou no Caribe

16 AGO 2010Por 10h:11
     

                Um avião se acidentou na madrugada desta segunda-feira (16) no aeroporto Gustavo Rojas Pinilla, em San Andrés, deixando um morto e ao menos 114 feridos, informaram a agência de notícias Reuters e a mídia local.

                Segundo o jornal "El Tiempo", o Boeing 737-700 da companhia Aires vinha de Bogotá com 121 passageiros e seis tripulantes e enfrentava uma forte tempestade, se acidentando a cerca de 80 metros da cabeceira da pista. A agência de notícias Associated Press informa que o número de pessoas no avião era 131.

                O aeroporto está fechado. Segundo a agência de notícias France Presse, havia quatro passageiros brasileiros que saíram ilesos do acidente.  Os passageiros do avião foram retirados imediatamente pelos bombeiros e equipes de resgate, que os transportaram a clínicas e hospitais da ilha.

                Pedro Gallardo, governador de San Andrés, disse que foi "um milagre" o fato de apenas uma pessoa ter morrido. "Foi um milagre e temos que agradecer a Deus."

                A empresa lamentou o acidente em nota em seu perfil no site de relacinamentos Facebook e Twitter e informou que disponibiliza uma sala para familiares das vítimas no hotel Sheraton de Bogotá. Um telefone foi divulgado para informações de passageiros: 018000949490. "A Aires lamenta o incidente ocorrido com seu voo 8250 que fazia a rota Bogotá-San Andrés", diz o texto.

                De acordo com o coronel da Força Aérea colombiana Gustavo Barrero Barrero, em entrevista ao jornal, a aeronave se partiu em três após ter sido atingida por um raio que causou "descontrole". "Ao aterrissar, foi sacudido por uma descendente e acabou se partindo em três pedaços", acrescentou a polícia nacional em um comunicado. O comunicado da polícia afirma ainda que, depois do acidente, os passageiros ficaram literalmente espalhados pela pista.

                Uma mulher morreu no caminho do hospital e foi identificada como Amar Fernández de Barreto.

                * Com informações da Reuters, AP e AFP
                

Leia Também