Campo Grande - MS, segunda, 20 de agosto de 2018

DIEESE

Quase 90% dos reajustes foram acima da inflação

18 MAR 2011Por infomoney00h:02

Em 2010, a proporção de negociações com aumento real nos salários foi o maior de toda a série, iniciada em 1996.

Segundo balanço divulgado ontem pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos), 88,7% das categorias conseguiram reajustes acima do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Ao todo, ocorreram 700 negociações no Brasil no ano passado. Desse total, 7% ficaram reajustados em índice igual ao INPC e 4,3% ficaram abaixo do índice.

Índice dos reajustes
Conforme apurou o Dieese, 55,9% das 700 negociações analisadas resultaram em reajustes salariais de até 2% acima da inflação e 4% garantiram ganhos reais de mais de 5%.

Destaques por setor
Entre os setores da economia analisados, o que mais teve negociações que resultaram em reajustes acima da inflação no ano passado foi o Comércio, com 95,7%.

O setor conseguiu reduzir o número de negociações abaixo do INPC. Esses reajustes representaram 3,5% do total, contra 6,1% de 2009.

Já na Indústria, 90,5% das negociações ficaram acima do INPC. Na comparação com 2009, houve aumento de 7 pontos percentuais.

O setor industrial apresentou queda no número de reajustes abaixo da inflação. No ano passado, 2,6% das negociações ficaram nesse patamar, contra 7,8% verificados em 2009.

O setor de Serviços, porém, se destacou, por registrar uma elevação de 12,5 pontos percentuais no número de salários reajustados acima da inflação, que ficou em 82,8%, frente os 70,3% verificados em 2009.

De acordo com o Dieese, o setor também reduziu a presença de reajustes abaixo da inflação. No ano passado, 7,1% das negociações do setor ficaram nesse patamar, contra 10,9% registrados em 2009.

Análise por região
O Dieese constatou que, em todas as regiões do País, a maioria dos reajustes ficou acima do INPC. O Norte, porém, registrou o menor percentual: 86,4% dos acordos ficaram acima do índice. Já 2,3% ficaram abaixo do INPC.

O Sudeste concentrou o segundo menor número de acordos que ficaram acima da inflação. Em 2010, 87% dos reajustes ficaram acima desse patamar, ao passo que 5,6% ficaram abaixo dele. No Nordeste, 5% ficaram abaixo do patamar e outros 87,6% acima do INPC.

No Sul, 91,6% das negociações conseguiram reajustes acima da inflação e outros 2,1% ficaram abaixo. A região Centro-Oeste foi a que concentrou o maior número de acordos que ficaram acima do INPC, de 93,8%. Outros 2,1% dos acordos ficaram abaixo do índice.
 

Leia Também