Quinta, 22 de Fevereiro de 2018

Quase 500 mil pessoas cumprem penas alternativas no Brasil

28 JUL 2008Por 12h:30
     

 

 

A Justiça evita mandar para a cadeia os condenados por pequenos delitos, crimes menos graves, praticados sem violência e que teriam penas de, no máximo, quatro anos de detenção. É uma das maneiras de tentar controlar a superlotação no sistema carcerário. E, pela primeira vez no Brasil, as penas alternativas superaram as prisões.

 

A pena alternativa foi criada há mais de 20 anos. Hoje, são quase 500 mil pessoas prestando serviços comunitários, pagando multas ou cestas básicas para acertar as contas com a Justiça.

O número poderia ser ainda maior. Dos 439 mil presos, 130 mil teriam direito a penas alternativas. Mas cada caso precisa ser analisado pela Justiça. Os criminosos reincidentes, por exemplo, têm que continuar na cadeia.

Entre os presos, o índice de reincidência chega a 85% em alguns estados. Já entre quem cumpre pena alternativa, esta porcentagem é de 5% em média. Em alguns países da Europa, 70% dos criminosos recebem penas alternativas.

 

Com informações do site G1

Leia Também