Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sexta, 21 de setembro de 2018

QUARTA ERUDITA

Quarteto Toccata amplia espaço para música clássica

6 JUL 2010Por 20h:19
Thiago Andrade

A música erudita tem se fortalecido na Capital. Prova disso são projetos como a Quarta Erudita ou a criação da Orquestra Sinfônica Municipal de Campo Grande. Com isso, o surgimento de músicos e grupos também tem aumentado. Nesse contexto, o Quarteto Toccata faz sua estreia oficial amanhã, às 20h, no Teatro Aracy Balabanian do Centro Cultural José Octávio Guizzo. Ele é a atração principal dessa edição da Quarta Erudita, promovida pele Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul.

Formado por três violinistas graduados e um professor do curso de Música da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, o quarteto iniciou suas atividades no final do ano passado com uma formação um pouco diferente. Pieter Rahmeier, Marcos Araújo e Jardel Vinicius Tartari se conheceram na faculdade e decidiram iniciar um grupo para pesquisar e interpretar composições clássicas para violão. Juntou-se a eles a acadêmica Mayara Amaral, que acabou saindo, deixando seu posto para o professor Rafael Salgado.

Na noite dessa quarta-feira, o quarteto apresenta “Concerto de violões”, no qual serão interpretadas composições de diversos momentos da história da música clássica. “Temos um repertório vasto, que abrange desde o renascimento até a música regional contemporânea. Para o concerto, preparamos uma versão de “Comitiva esperança”, do Almir Sater, além de clássicos como Praetorius, Telemann e, claro, Heitor Villa-Lobos”, detalha Jardel. Durante o concerto, o grupo contará com participação especial de Mayara.

Sobre as dificuldades de se começar um trabalho de música erudita na Capital, Jardel aponta que a cena musical ainda é nova em comparação com outras cidades, mas se fortaleceu muito nos últimos anos. “Três motivos levaram a esse desenvolvimento: a vinda de profissionais para o Estado, a criação do curso de Música da UFMS, assim como a criação da Orquestra Sinfônica Municipal de Campo Grande. Isso permitiu grandes saltos de qualidade por aqui”, acredita.

Com o desenvolvimento, projetos que levam música clássica à população da cidade tornam-se cada vez mais comuns. “Em Campo Grande, ainda está se criando uma tradição, mas temos visto como o público tem interesse no trabalho de música erudita. Diversos espetáculos tiveram o teatro lotado”, conta. É nesse “burburinho” que o Quarteto Toccata tem crescido, já tendo realizado apresentações em Ivinhema e em alguns festivais na Capital. Entretanto, a estreia oficial, com todos os violonistas já formados, acontece amanhã. A entrada é gratuita.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também