Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Quando vale a pena reformar um imóvel?

Quando vale a pena reformar um imóvel?
23/08/2012 14:08 - IG


Apesar da poeira e da bagunça, reformas podem valorizar um imóvel e facilitar sua venda. “Uma reforma, a princípio, sempre valoriza o imóvel”, explica Rodrigo Marcondes Ferraz, arquiteto e sócio do escritório FGMF. Porém, alguns cuidados na hora de fazer modificações são essenciais para garantir o sucesso da obra.

A princípio, é importante avaliar o valor de venda e o valor de uso do imóvel. Se a intenção é reformar a casa para vendê-la logo em seguida, os ajustes a serem feitos devem ser mais superficiais, afim de garantir um visual bonito e atrativo para possíveis compradores, gastando o menor valor possível. “O indicado é fazer um pré-orçamento e consultar um avaliador imobiliário para ter o valor de mercado sem a reforma e o valor depois de reformado. Se o valor de mercado do imóvel, somado ao investimento na reforma, for até 20% menor do que o valor que atingirá reformado, encarar a obra é um ótimo negócio”, garante a arquiteta Samira Jarouche.

Porém, tão importante quanto o valor de venda, é o valor de uso do imóvel. “Se a intenção é habitar no apartamento por 20 anos, por exemplo, é claro que qualquer modificação que aumente o conforto do usuário é bem-vinda e vale a pena. Mesmo que signifique alguma desvalorização”, explica Ferraz.

Além de colocar na balança o valor de venda e de uso, vale lembrar que, ao reformar, o gosto pessoal é o que guia a obra. Isso pode desvalorizar um imóvel, caso o comprador não tenha o mesmo gosto que você. Por isso, a designer de interiores Adriana Scartaris recomenda optar sempre pelo o que é mais “clean”. “Para tornar o imóvel mais atrativo é indicado especificar revestimentos básicos e de boa qualidade, como cerâmicas, porcelanatos e granitos neutros, sem muita informação.”

Felpuda


Partido está aos poucos montando a que vem sendo chamada de “chapa do quartel”, pois os pré-candidatos são oriundos da caserna. Há quem diga que os dirigentes da legenda ainda estão querendo pegar carona no “fenômeno Bolsonaro”, esquecendo-se que o presidente, embora vindo da área militar, está na política há 30 anos e o seu programa de governo agradou 57,7 milhões de eleitores. Dizem que tchurminha será obrigada a adicionar mais ingredientes no currículo, senão...