Campo Grande - MS, sábado, 18 de agosto de 2018

TRADIÇÃO

Quando a Sexta-feira Santa era realmente mais Santa

22 ABR 2011Por OSCAR ROCHA00h:00

imagine um dia no qual as rádios saem do ar ou alteram sua programação;  algumas pessoas deixam de fazer coisas básicas, como tomar banho ou pentear o cabelo; as crianças não podem brincar e os adultos apresentam comportamento mais reservado. Para as novas gerações, tais procedimentos parecem inimagináveis na atualidade, porém, para quem já passou dos 40 anos, são lembranças marcantes da Sexta-Feira Santa – ou Sexta-Feira da Paixão.
 

Leia mais no jornal Correio do Estado

Leia Também