Terça, 20 de Fevereiro de 2018

ELEIÇÕES

PV define posição sobre o segundo turno no próximo domingo

14 OUT 2010Por AGÊNCIA BRASIL07h:48

No próximo domingo, mais de 100 membros do PV deverão anunciar a decisão do partido sobre o apoio ou não para Dilma Rousseff (PT) ou José Serra (PSDB), os dois candidatos que concorrem à Presidência da República neste segundo turno das eleições.

Desde as 11h da manhã de hoje (13), até por volta das 17h, 53 membros da executiva do PV estiveram reunidos fazendo um levantamento sobre os resultados do primeiro turno, quantos candidatos próprios foram eleitos e o percentual de votos de Marina Silva em cada estado. Apesar da longa reunião, não foi tomada ainda uma decisão sobre o apoio no segundo turno.

Isso só deve ocorrer no próximo dia 17, quando três propostas estarão em votação na plenária do partido em São Paulo: apoiar Dilma Rousseff, apoiar José Serra ou se manter oficialmente neutro, mas liberando os membros para anunciar suas escolhas pessoais. “Como é de conhecimento público, apresentamos à sociedade e enviamos aos candidatos a nossa plataforma. Ambos os candidatos manifestaram interesse em aprofundar as questões que nós propomos”, afirmou a candidata derrotada do PV à Presidência, Marina Silva.

Ela admitiu que foi procurada por membros do PT e do PSDB para receber os parabéns por seu desempenho no primeiro turno e disse que ambos se mostraram abertos a um diálogo sobre o apoio no segundo turno. Apesar disso, Marina negou que tenha sido procurada pessoalmente pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva ou pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Ainda segundo Marina, o debate interno sobre a melhor posição do partido não inclui a possibilidade de o PV receber cargos no próximo governo. “Tudo o que nós estamos fazendo aqui é programático. O que não pode é a discussão ser prioritariamente em função de cargos.”

A plenária do PV contará com a presença de 57 membros da Executiva Nacional, mais 30 de seu conselho, além dos que foram candidatos a governadores, vices, senadores e deputados. Ainda participarão 15 representantes da sociedade civil, entre eles cinco de grupos religiosos.

Leia Também