Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

BOXE

Pugilista quer 'vingar' a seleção brasileira contra oponente argentino

20 NOV 2010Por GLOBOESPORTE.COM07h:37

Apesar da temática mais do que batida – a acirrada rivalidade entre Brasil e Argentina mesmo em esportes que não sejam o futebol –, a declaração do pugilista peso pesado brasileiro George Arias, que neste sábado defende o título sul-americano contra o argentino Emilio Zarate, é, no mínimo, curiosa.

- Vi o amistoso entre Brasil e Argentina, o gol do Messi no fim e na hora pensei: 'agora vou ter que meter a mão no argentino' – disse Arias, em meio a risadas, referindo-se à derrota da seleção de Mano Menezes para os vizinhos, em amistoso realizado na última quarta-feira, no Catar.

Quando soube da provocação de Arias, Zarate, que compareceu a pesagem oficial na última sexta-feira enrolado em uma bandeira do seu país, emendou uma réplica.

- Claro que ele disse isso, vai querer empatar tudo. Porque se ele não vencer vai ficar 2 a 0 para a Argentina. E eu quero isso – retrucou o portenho, nascido em Buenos Aires e torcedor fanático do San Lorenzo.

Arias e Zarate, dois apaixonados por futebol, fazem a penúltima luta do evento de boxe que acontece neste sábado, a partir das 19h, no Espaço das Américas, na Barra Funda, zona oeste de São Paulo. O embate vale o cinturão sul-americano, que hoje pertence ao brasileiro, atual campeão nas quatro associações do pugilismo nacional: Conselho Nacional de Boxe (CNB), Confederação Brasileira de Boxe (CBB), Confederação Brasileira de Boxe Profissional (CBBP) e Federação Nacional de Boxe Profissional Brasileiro (FNBPB).

A luta deste sábado colocará frente a frente pugilistas com características diferentes. O argentino de 29 anos de idade é mais jovem (George Arias tem 36 anos), mais alto (1,97m contra 1,81m do brasileiro) e mais pesado (102,5 kg contra 98,7 kg no dia da pesagem). A despeito do que a análise destes números pode dizer, Arias demonstrou bastante confiança.

- A altura dele pode dificultar, mas sou mais veloz e acredito que posso encontrar a distância ideal usando minha velocidade. Na técnica, tenho um boxe melhor. Acredito que ele não está acostumado com lutas muito duras. Teremos 12 rounds, mas espero não precisar de todos para vencer – disse o brasileiro, que já lutou 57 vezes como profissional, com 46 vitórias, sendo 34 por nocaute.

O argentino lutou apenas 13 vezes como profissional, com dez vitórias, sendo cinco por nocaute, duas derrotas e um empate. Deixando o futebol de lado, Zarate não correu da briga na hora de falar da luta.

- Sou profissional, estou há um mês me preparando para esta luta e, assim como meu treinador e a minha equipe, estou tranquilo com o trabalho que fizemos. Já vim quatro vezes ao Brasil e sempre fui tratado muito bem aqui. Mas, para não me sentir sozinho, dessa vez trouxe dez pessoas comigo - lembrou o argentino.

Leia Também