Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

NEGOCIAÇÃO

PT pode deixar a rivalidade de lado para apoiar Murilo à prefeitura de Dourados

14 DEZ 2010Por Fábio Dorta, Dourados 00h:00

O PT de Dourados poderá deixar a rivalidade de lado para negociar aliança com o DEM na eleição extemporânea do próximo dia 6 de fevereiro. Por enquanto, as lideranças não falam sobre o assunto abertamente, mas já sepultaram a hipótese de lançar candidatura própria para apoiar a candidatura do vice-governador Murilo Zauith (DEM). O PPS é outro que pretende seguir o mesmo caminho do PT de negociar com Murilo e deverá ser acompanhado pelo PSDB. Por outro lado, o PMDB, tradicional aliado do DEM da mesma forma que o PPS e os tucanos, pensa em lançar candidato próprio.

Os petistas escolheram uma comissão, formada por cinco integrantes, para conversar com outros partidos sobre a formação de alianças. "Vamos estabelecer um calendário para discutir esta questão já que a eleição está próxima e precisamos definir logo esta situação. Somente depois destas conversas vamos definir a posição do partido", afirmou o ex-deputado federal João Grandão, um dos integrantes da comissão.

Embora o ex-deputado afirme que o partido ainda não decidiu qual caminho tomar na eleição, lideranças petistas, que pediram para não ter os nomes revelados, afirmaram ao Correio do Estado que a tendência é apoiar a candidatura de Murilo Zauith. O martelo será batido em convenção no próximo dia 21.

Aliados se distanciam
Por outro lado, o PMDB definiu pelo lançamento de candidatura própria. Esta semana será realizada uma pesquisa qualitativa e quantitativa para escolher o candidato. Serão avaliados pelos eleitores os nomes do deputado federal Geraldo Resende, da prefeita interina Délia Razuk, do vereador Laudir Munaretto, do secretário municipal de Obras Antonio Nogueira e do radialista Marcelo Mourão.

O PMDB vai esperar o resultado da pesquisa para definir quando vai reunir os convencionais. "Somente depois disso é que nós iremos marcar a data da convenção e também traçar nossa política de alianças", afirmou o vereador Laudir, que é presidente do diretório municipal.

O PSDB também não marcou ainda a convenção, mas realizou no final de semana uma reunião para discutir o assunto, que contou com a presença da senadora Marisa Serrano e atraiu aliados antigos, o DEM e o PPS. Marcaram presença no encontro tucano o vice-governador Murilo e o deputado estadual Zé Teixeira.

A tendência entre os tucanos é apoiar a candidatura de Murilo, embora setores ligados ao presidente regional do partido o deputado estadual Reinaldo Azambuja defendam a tese da candidatura própria. Como o PPS já anunciou publicamente o apoio ao candidato do DEM, deverá ser reeditado em Dourados o Bloco Democrático e Reformista (BDR), que já une em nível nacional e o estadual os três partidos.

O PDT também se reuniu para avaliar o processo sucessório em Dourados, mas também não definiu se lança candidato próprio ou participa de alianças.

O PR, por sua vez, montou comissão provisória que terá amplo poder para discutir o rumo na eleição. O primeiro passo será conversar com os partidos aliados.

De acordo com o calendário divulgado pelo TRE, os partidos têm prazo até o dia 2 de janeiro para realizar as convenções. O DEM deve homologar a candidatura de Murilo na semana que vem.

Leia Também