Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SUCESSÃO ESTADUAL

PT não vai esperar por André para fechar as alianças

PT não vai esperar por André para fechar as alianças
04/03/2014 00:00 - DA REDAÇÃO


O PT não vai mais aguardar pela definição do governador André Puccinelli (PMDB), início de abril, de concorrer ao Senado, para retomar as negociações de aliança com o velho rival em Mato Grosso do Sul. A paciência do comando petista com a cúpula peemedebista se esgotou. O pré-candidato a governador, senador Delcídio do Amaral (PT), o maior interessado no acordo, já demonstrou impaciência e fixou até o fim deste mês o tempo limite para montar a chapa majoritária — vice e Senado — com ou sem o PMDB. A reportagem está na edição de hoje (04) do jornal Correio do Estado.

Delcídio espera acertar logo com os aliados a participação na composição da chapa majoritária e, também, na proporcional. Hoje, muitos partidos estão mais interessados na eleição de deputado federal e estadual. O senador considera isso importante na construção da aliança com vários partidos.

Mesmo considerando como “impactante” a possibilidade de o governador André Puccinelli (PMDB) decidir em abril disputar o Senado, Delcídio avisou que não protelará mais a construção de alianças rumo às eleições. “Março é o nosso deadline”, afirmou o postulante à sucessão estadual. A reportagem é de Tavane Ferraresi.
 

Felpuda


O desgaste de antigas lideranças nacionais, com reflexo em nível local, é a maior preocupação dos dirigentes de partidos para as eleições deste ano, que terá reflexo em 2022. Em épocas passadas, essas figurinhas cruzavam os céus do País para visitarem os municípios e pedirem que a população votasse em seus ungidos. Agora, com pendências judiciais e poder enfraquecido, dificilmente seriam convidadas. A pandemia, que resultou no isolamento social, foi a pá de cal.