Segunda, 19 de Fevereiro de 2018

BASTIDORES

PT conversa com aliados e oposição para evitar candidaturas avulsas na Câmara

5 JAN 2011Por FOLHA ONLINE13h:02

O PT decidiu procurar nesta quarta-feira (5) líderes do PR, PDT e PSDB. Com a manobra, espera-se evitar que novas candidaturas na base aliada para presidir a Câmara ganhem fôlego.

A ideia dos petistas é frear as articulações em torno da candidatura do deputado Sandro Mabel (PR-GO) e garantir o apoio da oposição à eleição do deputado Marco Maia (PT-RS), candidato oficial do governo.

Os encontros serão na noite de hoje em São Paulo. Além de Maia, desembarcam na capital paulista os deputados Arlindo Chinaglia, Odair Cunha (PT-MG), Paulo Teixeira (PT-SP).

Os petistas, articuladores da campanha de Maia, devem conversar com o deputado federal Valdemar Costa Neto (PR-SP), réu no processo que investiga o escândalo do mensalão, e o deputado Paulinho da Força (PDT-SP), apontado nos bastidores como um dos incentivadores do nome de Mabel.

Há ainda conversas programadas com líderes tucanos que sinalizam apoio ao petista.

Mabel nega a intenção de concorrer com Maia, mas admite, no entanto, que, se seu nome surgiu, "é um sinal de que está havendo espaço [para outras candidaturas]".

Outro nome da base que também tem circulado é o do deputado Aldo Rebelo (PC do B-SP).

Concorrência

No Congresso, as candidaturas avulsas correm o risco de ganhar força por causa das insatisfações não só com a composição do governo, mas também com a liberação de emendas parlamentares.

Além das negociações com líderes partidários, os petistas estão intensificando os contatos telefônicos com parlamentares.

Umas das estratégias é que Maia fale diretamente com cada um dos 512 colegas. "A nossa estratégia é ampliar a nossa candidatura nos Estados e isso que vamos fazer o tempo inteiro. Há insatisfações e elas serão trabalhadas sem nenhum temor", afirmou.

Chinaglia, ex-presidente da Câmara, disse que esse trabalho de conversa com os aliados é necessário e que as candidaturas avulsas precisam ser respeitadas. "Essas candidaturas merecem todo nosso respeito e devemos intensificar o diálogo."

O petista disse que a intenção de Maia é ter uma única candidatura. "O nosso objetivo é construir uma única candidatura, sem que a disputa chegue ao plenário", afirmou.

Questionado sobre as candidaturas avulsas, Maia não respondeu. Disse que não poderia falar com os jornalistas porque a agenda estava apertada com uma série de reuniões.

Leia Também