Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quarta, 14 de novembro de 2018

INDICAÇÃO

PT conquista mais um cargo e
ex-deputado assume o Ibama de MS

27 JUN 2012Por BEATRIZ LONGHINI15h:45

O Partido dos Trabalhadores (PT) conquistou mais um cargo federal em Mato Grosso do Sul. Depois do ex-parlamentar estadual Pedro Teruel ser empossado no comando da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), agora é a vez do também ex-deputado estadual Amarildo Cruz assumir um dos órgãos federais.

No próximo dia 2 de julho  Amarildo Cruz, nomeado hoje (27) como o novo superintendente do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais) pretende ter a primeira reunão com a equipe e definir projetos para implentação e discutir o que estão em andamento.

Amarildo disse que amanhã (28) estará em Brasília para um encontro com a cúpula do instituto.

Como parlamentar, Amarildo teve como uma das linhas de trabalho a preocupação ambiental. Ele apresentou projetos como o de restabelecimento da mata nativa proibindo por cinco anos a derrubada de árvores para produção de carvão, o que deveria ser feito somente por florestas plantadas.

Outros projetos foram sobre o aproveitamento das águas pluviais e da instalalação de placas para captação de energia solar em casas financiadas pelo poder público.

As propostas não tiveram êxito. Ou foram vetadas pelo Governo ou não foram aprovadas pela Assembleia Legislativa.

O antecessor de Amarildo Cruz foi David Lourenço que deixou o cargo em outubro de 2001. Ele foi afastado do cargo em decorrência das investigações de suposto envolvimento no comércio de jacarés feito pela Polícia Federal que resultou na Operação Caiman.

Na época, de acordo com a polícia, a prática irregular contava com o envolvimento de funcionários do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), do Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) e da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, das Cidades, do Planejamento, da Ciência e Tecnologia (Semac).

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também