Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

PT começa rodada de reuniões para tentar acabar com crise

23 MAR 10 - 08h:15
O PT iniciou a semana realizando reuniões para aparar arestas e discutir estratégias eleitorais. Ontem, o Grupo de Trabalho Eleitoral (GTE) debateu com o ex-governador José Orcírio dos Santos a “agenda casada” dele com a do senador Delcídio do Amaral e táticas eleitorais. Hoje é a vez de a Executiva do PT reunir-se com Orcírio, às 14h. E na sexta- feira, a direção do partido terá encontro com Delcídio. A intenção é unificar o discurso e tentar acabar com o fantasma da crise interna, que assombra o PT. “Vamos discutir política de alianças, encaminhamentos da candidatura a vice e agenda conjunta do Zeca com o senador Delcídio”, informou o presidente regional da sigla, Marcus Garcia. Afinar o discurso antes de começar a campanha eleitoral é um dos desafios do PT desde o ano passado. Em novembro, com a eleição de Marcus Garcia para o comando regional da sigla – indicado por Delcídio, com o apoio de Orcírio – as desavenças pareciam sepultadas. Mas na semana passada, focos de tensão voltaram a despontar, mostrando que as rivalidades das duas principais lideranças do partido não estavam tão bem resolvidas como elas queriam fazer crer. Parlamentares petistas criticaram Orcírio por não conciliar sua agenda com a de Delcídio, por não consultar o partido sobre o convite do PDT à sua esposa, Gilda Maria Gomes dos Santos (PT), para ser suplente do deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT) na disputa por vaga no Senado. Eles também reclamaram da indiferença de Orcírio à visita do ministro do Planejamento, Paulo Bernardo a Campo Grande. Prioridades Para Orcírio, as queixas são perda de tempo e o importante é sair às ruas em pré-campanha. “Pedi essa reunião com o GTE para eles me explicarem o que é essa ‘agenda comum’ (com Delcídio). Não quero mais perder tempo com isso”, explicou o pré-candidato. Na avaliação do ex-governador, nesse momento, agenda conjunta com o Delcídio não é uma boa estratégia. Separadas, as lideranças podem visitar maior número de municípios, raciocinou o ex-governador. “Eu estou fazendo uma agenda de précandidato e o Delcídio tem agenda de parlamentar. O partido ganha muito mais se cada liderança caminhar em regiões diferentes”, explicou. “Na campanha é outra história. Na campanha é indispensável estarmos todos juntos, para reforçar as caminhadas e comícios”, disse. Mas Orcírio admitiu a possibilidade de “casar” agendas se for convencido de que está errado. “Se eles me convencerem que é melhor unir as agendas, não tem problema. Só acho que temos que resolver logo isso e parar com esse papo”, concluiu. Para Marcus Garcia, a agenda conjunta é fundamental. A proposta é que Delcídio e Orcírio firmem o compromisso de comparecer, juntos, pelo menos nos encontros regionais que o partido vai realizar para coletar propostas para o programa de governo. (MM/LK)
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Governadores reiteram apoio a reformas e defendem reinclusão na da Previdência

BRASIL

Judeus reclamam do uso de símbolos por Bolsonaro

BRASIL

Moro autoriza envio da Força Nacional para combater desmatamento

BRASIL

Evangélicos cobram transferência de embaixada em Israel

Mais Lidas