Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

EXPECTATIVA

PT ainda não fechou com ninguém

PT ainda não fechou com ninguém
04/03/2014 00:00 - ADILSON TRINDADE E TAVANE FERRARESI


Mesmo estabelecendo este mês o prazo para fechar acordo com os partidos interessados na aliança com o PT, o senador Delcídio do Amaral admitiu ainda não ter concluído entendimento político com nenhuma agremiação política. O que existe, por enquanto, é apenas conversas.

Mas Delcídio acredita no avanço das negociações para fechar com os partidos até o fim do mês. “Ninguém fechou nada”, afirmou. Mas indicou os partidos considerados aliados naturais na aliança com o PT. “Agora, é evidente que o PCdoB tá conosco, o PV também conosco, o PDT, pelo menos, se posicionou publicamente que vai nos acompanhar. O Pros é partido aliado com nós também”,
explicou.

Ele destacou as negociações com o PR e PSD para fechar o entendimento ainda este mês. “Eu não deixo de conversar com presidentes de partidos. Sempre estou dialogando com todos”, afirmou.

Delcídio reiterou o esforço para as definições acontecerem ainda em março. Mas está ciente, também, de algumas dificuldades para cumprir o plano de fechar com todos os partidos interessados antes da posição do governador André Puccinelli (PMDB) de renunciar ao mandato para concorrer ao Senado. André tem declarado publicamente o interesse de concluir o mandato e reiterado o apoio à pré-candidatura da vice-governadora Simone Tebet (PMDB) para o Senado. Mas a pressão interna no PMDB é muito grande para André disputar o Senado.

“Acho que essas definições (de alianças) vão ocorrer neste mês de março, mas a gente não pode afirmar coisas que ainda não aconteceram. É claro que estamos trabalhando pra que isso ocorra, mas os partidos ainda não se posicionaram publicamente”, afirmou Delcídio.

Mas se depender da vontade de alguns partidos, as definições acontecerão só depois do governador André Puccinelli decidir o seu futuro. É o caso do PR. O presidente regional do partido, Londres Machado, aguarda por André para decidir em que lado o PR ficará.

Felpuda


Outrora afinadíssimo com o presidente Jair Bolsonaro, parlamentar sul-mato-grossense começou a ser escanteado em consequência de uma das crises políticas de grande repercussão. A figura entrou em campo e botou falação sobre o que estava ocorrendo, e isso soou que só como crítica pesada ao governo, que, como não poderia deixar de ser, não gostou nadica de nada. Há quem diga que o dito-cujo é muito levado “pelo sangue”. Então, tá!...