ENCONTRO NO ALVORADA

PSDB pede <br>que TSE multe Dilma Rousseff

PSDB pede <br>que TSE multe Dilma Rousseff
08/03/2014 10:32 - FOLHAPRESS


O PSDB entrou ontem no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com uma representação contra a presidente Dilma Rousseff e o PT por um encontro realizado pela petista no Palácio da Alvorada com integrantes de sua campanha de reeleição e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O PSDB pede que seja aplicada multa de até R$ 100 mil e ainda que o tribunal proíba, em decisão provisória (liminar), a utilização da residência oficial da Presidência "para atos de campanha eleitoral de caráter público". O argumento do PSDB é de que houve irregularidade no encontro porque o ministro Aloizio Mercadante (Casa Civil) e o chefe de gabinete da presidente, Giles Azevedo, "estavam exercendo função eleitoreira, em detrimento de suas funções públicas", em horário de expediente e que o uso do Palácio da Alvorada para o encontro teve caráter público, o que é vedado pela legislação eleitoral. 

A ação foi motivada pelo encontro da última quarta-feira que contou com o ex-presidente Lula, que chegou ao Palácio da Alvorada por volta das 17h30, Mercadante, Giles, o ex-ministro da Comunicação Social Franklin Martins, o marqueteiro João Santana, o presidente do PT Rui Falcão e Edinho Silva, cotado para ser tesoureiro da campanha. Dilma e Lula posaram para uma foto que foi distribuída pelo Instituto Lula, no Twitter. Segundo relatos, o encontro tratou da insatisfação do PMDB com o PT e o Palácio do Planalto e o destino de Giles, que deve integrar a coordenação da campanha.

Para o PSDB, o uso de residências oficiais é permitido desde que o ato não tenha caráter de ato público. "Excelências, em plena quarta-feira de cinzas, no momento em que todos os brasileiros retomavam seu trabalho, após o feriado de carnaval, a representada e importantes nomes do Partido dos Trabalhadores se reuniam para discutir uma única questão, a reeleição da Presidente Dilma Rousseff", afirma a ação.
 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".