sábado, 21 de julho de 2018

ÚLTIMO DIA DE CAMPANHA

PSDB e PT levam centenas de carros às ruas da Capital

31 OUT 2010Por lidiane kober01h:30

Tucanos levaram, no início da manhã de ontem, cerca de 500 veículos para as ruas de Campo Grande, pouco depois foi a vez de os petistas atrair centenas de carros para o centro da Capital. A carreata dos aliados a Dilma Rousseff (PT) só parou por causa da chuva. Nem mesmo assim, a confiança no resultado positivo foi embora. "É a chuva da vitória", diziam. Entre os parceiros de José Serra (PSDB), o clima era de "virada" nas urnas.

Por volta das 8h30min, tucanos e aliados saíram do estacionamento do Yotedy, próximo ao Parque das Nações Indígenas, em direção ao centro de Campo Grande. Comandada pela senadora Marisa Serrano (PSDB) e pelo deputado federal Waldemir Moka (PMDB), a carreata passou pela Avenida Mato Grosso, Rua 13 de Maio, Avenida Fernando Corrêa da Costa e encerrou-se no comitê pró-Serra, na Avenida Afonso Pena.

No local, lideranças manifestaram confiança na virada de José Serra e apelaram pelo comparecimento do eleitor às urnas. Marisa, da mesma forma que outras lideranças, pediu para os simpatizantes de Serra continuar se empenhando até o último minuto a fim de arrebanhar votos para o tucano.

Pouco depois, foi a vez dos aliados a Dilma invadir as ruas da Capital. Pelos cálculos dos petistas, cerca de 600 veículos participaram da carreata. O ato foi liderado pelo senador Delcídio do Amaral (PT) e contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, vereador Paulo Siufi (PMDB) — um dos poucos peemedebistas sul-mato-grossenses a apoiar Dilma. O prefeito Nelsinho Trad (PMDB) também manifestou preferência pela petista, mas não participou da carreata.

Empolgado e molhado, por conta da chuva que parou a carreata pró-Dilma, Delcídio demonstrou total confiança na vitória, principalmente por acreditar na transferência dos votos de Marina Silva (PV) para a petista. "A militância da Marina sempre foi PT", comentou. O senador ainda revelou acreditar na virada de Dilma no Estado. "Só se vê adesivo do Serra no centro de Campo Grande", disse. "Nos bairros e no interior, só dá Dilma", finalizou.

Leia Também