Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PSDB de MS confia no apoio de governador a José Serra

PSDB de MS confia no apoio de governador a José Serra
04/02/2010 23:21 - LIDIANE KOBER


O presidente regional do PSDB, deputado estadual Reinaldo Azambuja, confirmou a disposição do governador André Puccinelli (PMDB) de aderir ao projeto dos tucanos n a e l e i ç ã o presidencial. Ele garantiu ainda a inexistência de pressão sobre o PMDB de Mato Grosso do Su l p a - ra anunciar aliança com os tucanos, porque tem consciência de que isso só será possível quando o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), confirmar sua candidatura a presidente da República. A confiança de Azambuja de contar com a parceria do PMDB nas eleições leva em conta seguidos sinais de Puccinelli, evidenciando a sua preferência por Serra. Ontem mesmo, o governador relacionou sua posição com reportagem da Folha de São Paulo, que dá como provável a aliança entre o PSDB e PMDB no Estado (leia matéria abaixo). Um dia antes, ele disse que deverá seguir com base política formada por 20 deputados. A soma conta com a presença dos cinco parlamentares tucanos. “O A ndré vem indicando que ficará com o PSDB”, declarou Azambuja. “E nós não temos pressa em receber a resposta final p o r q u e s a - bemos que o ‘time’ (tempo em inglês) certo será a hora que o Serra decidir”, completou. Segundo ele, até o final de março o governador de São Paulo deverá confirmar sua candidatura. O presidente do PSDB destacou ainda que a senadora Marisa Serrano (PSDB) realmente está 100% pronta para entrar na briga pela sucessão estadual. “Mas, isso só vai ocorrer se o PMDB se coligar com o PT no Estado”, explicou. Sobre o anúncio de apoio do prefeito Nelsinho Trad (PMDB) à candidatura a presidente da ministra Dilma Rousseff (PT), Azambuja acabou confidenciando sua mágoa com o peemedebista. “Pelos anos de parceria, o prefeito, pelo menos, deveria ter nos procurado para anunciar sua disposição de apoiar o PT”, afirmou.

Felpuda


Considerados “traíras” por terem abandonado o barco diante dos indícios da chegada da borrasca à antiga liderança, alguns pré-candidatos terão de se esforçar para escapar da, digamos assim, vingança, velha conhecida da dita figurinha. Dizem por aí que há promessas nesse sentido, para que os resultados dos “vira-casacas” nas urnas sejam pífios. Sabe aquela velha máxima: “Pisa. Mas, quando eu levantar, corre!” Pois é...