Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ELEIÇÕES 2014

PSD não vai ‘mendigar’ cargos, diz Antonio João

PSD não vai ‘mendigar’ cargos, diz Antonio João
28/02/2014 00:00 - DA REDAÇÃO


Antonio João tem como prioridades o crescimento do PSD e o desenvolvimento do Estado (Arquivo)

O presidente regional do PSD e ex-senador, Antonio João Hugo Rodrigues, declarou ontem que “o PSD não mendigará cargos” para apoiar qualquer dos pré-candidatos a governador. A prioridade dele é com o crescimento do partido e o desenvolvimento do Estado, segundo reportagem na edição de hoje (28) do jornal Correio do Estado.

Ele está empenhado em eleger a bancada do PSD na Assembleia Legislativa e obter pelo menos um deputado federal para aumentar a representatividade no Parlamento.

Além disso, o dirigente criticou os partidos que estão se oferecendo, antecipadamente, para compor coligação sem debate político. “Tem partido que não tem nada para dar e quer tudo”, disse ele.

Para Antonio João, é necessário, primeiro, vencer a eleição, para depois negociar espaço na administração. “Tem que saber que só depois que ganha a guerra que vem a recompensa”, afirmou. “Esse negócio de ficar pedindo em troca não é certo, ficar querendo recompensa antes. Eles já se oferecem sem nem antes discutir projeto político”, complementou.

Atualmente, o Estado tem dois pré-candidatos lançados: o senador Delcídio do Amaral (PT) e o ex-prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad (PMDB). Outros dois também podem lançar candidaturas: o deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB), que declarou ser candidato ou para o Senado ou para o governo do Estado, e o prefeito de Dourados, Murilo Zauith (PSB) que, recentemente revelou a possibilidade de disputar o comando do Estado. A reportagem é de Roberta Cáceres.

Felpuda


Figurinha começou a respirar aliviada, embora ainda esteja na corda bamba. Isso porque mudou de mãos o processo cuja sentença poderá mandá-la para casa definitivamente. Assim, pela “jurisprudência” com a qual o “analista” é conhecido, pode ser que o resultado seja bastante favorável, permitindo que a então desesperada pessoa continue com o assento em Brasília. Vamos ver!