Campo Grande - MS, sexta, 17 de agosto de 2018

Passaia candidato

PSC diz que vai filmar compra de votos

5 MAI 2011Por GD News16h:53

O Partido Social Cristão (PSC) resolveu adotar de vez um discurso de combate à corrupção na política local. Depois de anunciar a candidatura de Eleandro Passaia à prefeitura, a sigla diz agora que vai filmar a compra de votos durante a campanha eleitoral do próximo ano em Dourados. A decisão foi tomada em reunião que contou com a presença do empresário Elizio Brites, potencial candidato do PSB.
 

Em comunicado enviado ao Jornal Gran Dourados, o Partido afirma que vai distribuir ao menos mil micro-câmeras entre moradores de bairros periféricos da cidade, no intuito de flagrar crimes eleitorais. O nome do ex-secretário de Governo de Artuzi é utilizado como grande símbolo e exemplo a ser seguido. “São equipamentos similares aos usados por Eleandro Passaia na Operação Uragano, responsável por desmascarar muitos bandidos que agiam na política”, diz o presidente da legenda no município, Acássio do Nascimento.


Bandidos de paletó

Além de equipar populares com micro-câmeras, o PSC anuncia também que pretende utilizar possíveis vídeos com irregularidades eleitorais para coibir ações de compra de votos. A ideia da legenda é se reunir com a Justiça Eleitoral para definir quais medidas poderão ser tomadas para punir práticas ilícitas em campanha.


“O que os bandidos de paletó não podem esquecer é que gente pobre também tem caráter e coragem. Muitas donas de casa, trabalhadores braçais e até desempregados vão surpreender quem pensa que eles vão se vender nas eleições, as coisas estão mudando”, diz Nascimento.


Licitações

Outra proposta divulgada pela assessoria do PSC diz respeito ao setor de licitações da administração municipal. O Partido fala em criar um compromisso com os candidatos do próximo pleito referente ao desenvolvimento de modelos mais transparentes na contratação de serviços por parte do Poder Público.


“O presidente municipal do PSC garante que junto com as novas regras vai solicitar que todos os candidatos assinem um termo antecipado de renuncia do cargo de prefeito, prevendo cassação imediata do mandato caso o vencedor das eleições do ano que vem não adote regras mais transparentes para comprar produtos e contratar serviços com dinheiro público”, diz o comunicado.
 

Leia Também