domingo, 15 de julho de 2018

vazamento

Provas do Enem mobilizam 400 PMs no Estado para evitar vazamento

5 NOV 2010Por anahi zurutuza00h:00

Para evitar o vazamento de informações sobre as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2010, que serão aplicadas neste fim de semana, a organização do exame em Mato Grosso do Sul contará com esquema especial de segurança. A Polícia Militar (PM) mobilizará 400 policiais de todo o Estado para trabalhar na escolta da distribuição dos cadernos de questões, no policiamento ostensivo das proximidades dos locais de prova e na guarda dos prédio onde os candidatos vão realizar o exame.

Os trabalhos da PM começam hoje com a escolta dos testes transportados pelos Correios para as cidades do interior onde será aplicado o exame. De acordo com o comandante do Comando de Policiamento Metropoliano (CPM), coronel Sebastião Henrique de Oliveira Bueno, que será responsável pela operação, policiais militares sairão de Campo Grande e acompanharão as equipes dos Correios até Dourados, Corumbá, Três Lagoas, Paranaíba, Naviraí, Jardim e Coxim.

Nos dias do exame, sábado e domingo, o policiamento começará às 10h, com batedores para fazerem a segurança dos membros dos Correios responsáveis pela entrega dos testes em cada local de prova. No encerramento do Enem, novamente a Polícia Militar fará a escolta do pessoal dos Correios, desta vez responsável pelo transporte e envio dos gabaritos para correção.

Campo Grande
Somente na Capital, 289 homens serão empenhados para o trabalho. Cada local de prova contará com policiais que terão o dever de evitar qualquer transtorno ou irregularidade durante a realização do Enem e, ainda, auxiliar os fiscais no fechamento dos portões e controle de entrada de materiais proibidos, como eletrônicos.

Além do policiamento fixo nos locais de prova, a PM manterá viaturas circulando na região central de Campo Grande para dar suporte às equipes de trabalho e evitar tumultos próximos aos prédios onde estiverem ocorrendo os exames. “Toda a estrutura que esquematizamos tem o objetivo de evitar qualquer tipo de fraude no dia de realização desta prova. Os candidatos podem ficar tranquilos que, no que depender da PM, todo o processo será feito com lisura”, afirma o coronel Sebastião Bueno.

Vazamento
Em 2009, o Ministério da Educação (MEC) teve de cancelar a prova depois que o jornal o Estado de S. Paulo denunciou o vazamento do exame. Dois homens tentaram vender os cadernos de questões por R$ 500 mil a jornalistas do veículo, que comunicaram o MEC e publicaram a matéria informando que a prova havia “vazado”.

Leia Também