Segunda, 18 de Dezembro de 2017

Promotoria apura se comercial com marionetes faz apologia ao terrorismo

2 JAN 2014Por FOLHAPRESS13h:45

Um comercial de uma companhia telefônica com marionetes virou alvo de uma investigação da Promotoria do Egito. A denúncia foi apresentada por um seguidor do ex-ditador Hosni Mubarak, quem afirma que o anúncio faz apologia aos ataques terroristas e à Irmandade Muçulmana, proibida pelo governo.A propaganda da Vodafone foi veiculada durante o Natal e mostra como os clientes podem fazer para revalidar seus chips. Na história, Fahita comenta com uma amiga por telefone que esta procurando o chip do marido morto. Para isso, pediu a ajuda de sua filha Karkoura e contratou um cachorro para procurar em um shopping.
Para o rapper Ahmed "Spider" Zebidan, que é seguidor de Mubarak, o anúncio tem uma conotação diferente. Em entrevista à televisão privada Al Tahrir, ele afirma que a história é uma senha para a ocorrência de um ataque terrorista capitaneado pela Irmandade Muçulmana.

Zebidan considera que o uso das palavras "cachorro" e "shopping" são sinais de que um novo atentado está planejado para um desses lugares. Ele também indica que as bolas que enfeitam a árvore de Natal seriam bombas e o topo do enfeite tem a forma do número quatro.
O símbolo é o mesmo usado pelos militantes da entidade para se referir à desocupação do acampamento de Rabia al-Adawiya, no Cairo, que deixou mais de 600 mortos em agosto, e por manifestantes contrários à queda do presidente Mohammed Mursi.

Depoimento

Após receber a denúncia, a Promotoria egípcia chegou a questionar a Vodafone sobre as intenções do anúncio. Em nota, a empresa disse que a propaganda não tem nenhuma mensagem oculta e que todas as explicações do rapper "são ficções e opiniões pessoais" que não são de sua responsabilidade. A companhia disse ainda que pretende processar "quem tente destruir a reputação da empresa". O porta-voz da Vodafone, Khaled Hegazy, disse mais cedo que a equipe de marketing foi questionada. "Nós estamos muito tristes que existam pessoas que pensem dessa maneira no Egito."

A interpretação do rapper provocou polêmica e declarações irônicas nas redes sociais. Um usuário islamita disse no Twitter: "Forças de segurança do Egito: se alguém souber onde Abla Fahita, a marionete terrorista da Irmandade Muçulmana, está escondida, favor entrar em contato com o serviço de atendimento da entidade". Já Iyad El-Baghdadi disse em sua conta: "Esqueçam o sinal dos quatro dedos: Abla Fahita deve se tornar o símbolo da resistência contra o novo regime egípcio". 

Leia Também