Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA

Promotores pedem condenação de Bernal a pagar R$ 220 milhões

Promotores pedem condenação de Bernal a pagar R$ 220 milhões
09/01/2014 00:00 - DA REDAÇÃO


O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), e o secretário de Planejamento e Finanças, Wanderley Ben Hur da Silva, poderão ser condenados a pagarem mais de R$ 220 milhões de multa civil se forem condenados pelo juiz da 1ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos, Amaury da Silva Kuklinski, na ação civil civil pública por atos de improbidade administrativa proposta pelo Ministério Público Estadual (MPE). A reportagem está na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

O juiz está aguardando apenas a defesa prévia dos dois para julgar, na primeira fase, o pedido dos promotores de Justiça Fabrício Proença de Azambuja, Alexandre Pinto Capiberibe Saldanha e Henrique Franco Cândia para afastá-los imediatamente do cargo até o julgamento do mérito do processo.

Segundo a reportagem de Adilson Trindade, Bernal e Ben Hur estão sendo processados por gastarem mais de R$ 110 milhões no remanejamento de uma pasta para outra sem autorização legislativa. Os promotores acusaram eles de violarem a Constituição Federal e de usurparem o poder do Legislativo de examinar e votar a operação orçamentária. 

Felpuda


O desgaste de antigas lideranças nacionais, com reflexo em nível local, é a maior preocupação dos dirigentes de partidos para as eleições deste ano, que terá reflexo em 2022. Em épocas passadas, essas figurinhas cruzavam os céus do País para visitarem os municípios e pedirem que a população votasse em seus ungidos. Agora, com pendências judiciais e poder enfraquecido, dificilmente seriam convidadas. A pandemia, que resultou no isolamento social, foi a pá de cal.