domingo, 15 de julho de 2018

Promotor defende intervenção do Estado

6 DEZ 2010Por 02h:05

"A situação é tão grave que demanda intervenção do Estado", garantiu o promotor de Justiça de Ribas do Rio Pardo, Daniel Pívaro Stadniky, referindo-se ao caso do grupo de adolescentes que têm aterrorizado o município. Assim como o delegado da cidade, Reginaldo Salomão, o promotor também defende que os menores infratores sejam encaminhados para uma Unidade Educacional de Internação (Unei), no entanto, o pedido para reclusão dos jovens foi negado pelo juiz da Vara da Infância e Juventude de Campo Grande, Danilo Burin, que alegou falta de vagas para internação.

O promotor explicou que no início de novembro os adolescentes foram flagrados traficando pasta base de cocaína num bairro de Ribas do Rio Pardo e apreendidos. Posteriormente, o pedido de internação dos envolvidos foi negado e eles foram liberados. "Deu prazo de cinco dias na delegacia, como determina o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) e os jovens foram soltos. Chegou a notícia de que eles fizeram festa nesse dia", relembrou.

Ainda de acordo com Daniel Pívaro, quando da apreensão dos menores, eles afirmaram ter conhecimento de que são reconhecidos pela população da cidade como traficantes. "A adolescente diz que busca droga em Corumbá porque é mais pura e vicia mais. Eu perguntei se ela não se preocupava com a saúde das pessoas que compram essa droga e ela respondeu que só estava interessada no dinheiro", descreveu o promotor.

Impunidade
Daniel Pívaro contou que os menores sentem orgulho de serem traficantes e que a impunidade é um dos principais fatores que alimentam essa satisfação. "A grande questão é a impunidade porque eles traficam há anos e sempre são apreendidos e liberados. A falta de vaga nas Uneis funciona como combustível para esse grupo", ressaltou, explicando que existem muitas reclamações com relação aos jovens, no entanto, as pessoas têm medo de denunciar a ação dos adolescentes.

Para o promotor, a situação é "escancarada" e o menor de 17 anos, que fornece droga para seus seguidores, precisa de atenção do Estado para retomar o caminho correto em sua vida. "Ele pode estar se tornando um criminoso e o futuro é a penitenciária", alertou. Segundo Daniel, a juiza de Ribas do Rio Pardo, Luciana Borges, entrou com pedido de liminar para que o Governo de Mato Grosso do Sul seja compelido a garantir o internação dos menores infratores para que eles cumpram medida socioeducativa. (VS)

Leia Também