Quinta, 22 de Fevereiro de 2018

Projeto recolhe em Campo Grande abelhas africanizadas

22 AGO 2010Por 13h:00
     

O projeto SOS Abelhas Africanizadas é realizado pelo setor de apicultura da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia-FAMEZ, da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) visa recolher as abelhas africanizadas que estão representando risco para a população campo-grandense.

O projeto recebe apoio financeiro da Pró-Reitoria de Extensão, Cultura eAssuntos Estudantis/PREAE e é coordenado pela professora do Departamento de Zootecnia Maria de Fatima Falcão. De acordo com ela, quando estes insetos passam a ocupar a área urbana representam riscos para as pessoas e animais, pois as abelhas africanizadas (Apis mellifera) são agressivas e de comportamento imprevisível, devendo se removidas por pessoas capacitadas.

As abelhas africanizadas já estão no Brasil há mais de 40 anos. Elas foram o resultado do cruzamento de abelhas importadas do continente africano com as européias. "O que no procuramos fazer é dar uma assistência para a população, pois essas abelhas são perigosas", diz a pesquisadora.

Os enxames capturados receberão o devido manejo com suplementação alimentar energética e protéica para serem utilizados nas aulas práticas de apicultura.

Neste projeto, estão envolvidos acadêmicos do Curso de Zootecnia e Medicina Veterinária da UFMS, um técnico em apicultura, dois professores e uma acadêmica do curso de Medicina da UNIDERP que irá prestar atendimento às pessoas que foram picadas pelas abelhas. Para quem tiver um enxame que esteja representando risco basta entrar em contato com o projeto SOS Abelhas nos seguintes números: (67) 33453606 ou 81298070.

 

(Fonte: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul)

Leia Também