Domingo, 25 de Fevereiro de 2018

CÓRREGO DO CAFÉ

Projeto pretende recuperar e preservar microbacia

22 FEV 2011Por BRUNA LUCIANER07h:51

 

Inserida na bacia do Rio Negro, e uma das regiões prioritárias para a recuperação de áreas degradadas nas bacias do entorno do Pantanal, a microbacia do Córrego do Café tem recebido atenção especial nos últimos dois anos. 

A Associação de Preservação do Meio Ambiente de Rio Negro (Apremarine), em parceria com a Organização Não Governamental Conservação Internacional (CI-Brasil), iniciou em 2008 um projeto de adequação ambiental da microbacia. As duas organizações realizaram um diagnóstico fundiário da região, com o apoio do Laboratório de Ecologia e Restauração Florestal da Escola de Agronomia da Universidade de São Paulo (Esalq/USP), que delimitou espacialmente as 106 propriedades rurais localizadas na microbacia. O estudo mostrou que essas propriedades, destinadas basicamente à criação de gado leiteiro por agricultores familiares, apresentam ausência quase completa dos 20% de reserva legal exigidos, além de adotar técnicas precárias em relação ao uso dos recursos naturais nos sistemas de produção.

Apesar disso, a região ainda apresenta um bom potencial de regeneração natural pelo histórico de uso da área e a existência de muitos fragmentos florestais remanescentes. Foi baseado nisso que o “Projeto de Adequação Ambiental da Microbacia do Córrego do Café” desenvolveu uma série de ações para reverter esse quadro. 

Em primeiro lugar, os resultados foram apresentados a quase todos os proprietários locais, conseguindo a adesão voluntária de 17 deles. As 21 propriedades desses 17 agricultores-parceiros totalizam 3.252,45 hectares, que correspondem a 43% da microbacia. Ainda em 2008, a Apremarine participou da 3ª Seleção Pública do Programa Petrobras Ambiental com o Projeto Restauração Florestal de APPs em Rio Negro. O projeto foi contemplado para realizar a restauração florestal de 220,18 hectares de Áreas de Preservação Permanente (APPs) e difundir práticas de cumprimento à Legislação Ambiental Brasileira de conservação da biodiversidade e dos recursos naturais.

Os recursos oriundos do patrocínio da Petrobras estão sendo investidos na construção de um viveiro de mudas nativas com capacidade inicial de 45 mil mudas, sendo prevista inauguração para o primeiro trimestre deste ano ainda. Os produtores rurais que aderiram ao projeto receberão gratuitamente materiais para cercamento das áreas, mudas de espécies nativas e acompanhamento técnico para o desenvolvimento das ações.

Leia Também