MORTES EM CONFLITO

Projeto garante pensão a pais de policiais

Projeto garante pensão a pais de policiais
04/03/2014 00:00 - DA REDAÇÃO


O deputado estadual Marquinhos Trad (PMDB) apresentou Projeto de Lei Complementar para incluir na legislação estadual dispositivo que garanta benefício financeiro a a pais de policiais mortos em confrontos.

A proposta leva em consideração a história da família do policial militar Luiz Pedro de Souza Gomes, 33 anos, morto no dia 14 de novembro de 2013, em um confronto entre policiais da Força Nacional de Segurança e moradores do Distrito de Rio Pardo, em Rondônia.

Por não ser viúva, a mãe dele, Corina de Souza Gomes, 57 anos, não tem direito a pensão. Se aprovado o projeto, serão incluídos na lista de beneficiários “a mãe e o pai que comprovem dependência econômica do militar estadual”.

Justamente em busca da mudança na legislação, parentes e amigos de Luiz Pedro foram, dia 15 de fevereiro, às ruas de Campo Grande protestar. O plano deles era colher assinaturas para exigir a mudança da lei complementar 053/1990. Por esse caminho, seriam necessárias 100 mil assinaturas.

“É uma questão de justiça. Neste caso, o rapaz era solteiro, ajudava em casa, então, a família precisa contar com o apoio do Estado. Até mesmo, porque, como policial, ele sempre trabalhou pela segurança da sociedade e teve descontado de seu salário todas as contribuições impostas por lei”, frisou Marquinhos. 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".