Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Projeto de R$ 152 milhões levará energia ao Pantanal

10 MAR 10 - 10h:20
A energia elétrica chegará às mais distantes e isoladas fazendas do Pantanal, 250 anos depois da ocupação da planície pelo homem e o boi. A Eletrobrás decidiu financiar o Programa Luz para Todos na porção do bioma em Mato Grosso do Sul, compreendendo as sub-regiões do Taquari, Paiaguás, Nhecolândia e Nabileque, grande parte em Corumbá. O senador Delcídio do Amaral (PT/MS) participou de reunião com a Eletrobrás, Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Secretaria Nacional de Energia e Enersul, em Brasília, e o projeto para o Pantanal foi aprovado. O governo federal, no entanto, pretendia incluir a região apenas com o sistema de energia solar, que já atende os ribeirinhos da Amazônia. A resistência do governo de estender a eletrificação rural na planície foi motivada pelo valor altíssimo do projeto, orçado em R$ 152 milhões. Enquanto a média do custo Brasil para instalar energia em um domicílio é de R$ 6,6 mi, no Pantanal será de R$ 92 mil. A Eletrobrás bate o martelo no dia 17, quando anuncia as fontes do financiamento à Aneel. Serão construídas duas subestações – no Buraco da Piranha, a 120 quilômetros de Corumbá, e no Taquari, distante 150 km de Coxim -, para alimentar os linhões com capacidade de 138 KV. Serão implantados 4.768 km de rede de distribuição, atendendo a 1.668 propriedades, entre pequenas, médias e grandes, segundo levantamento feito pela Enersul em 2006. Tarifa mais cara Delcídio do Amaral explicou aos fazendeiros que o governo federal deverá subsidiar parte dos investimentos, o que não acontecendo gerará impacto tarifário de 4,2% na conta da luz. As obras devem começar entre agosto e setembro, com conclusão prevista para dezembro de 2011. Os ribeirinhos distantes da rede vão receber energia solar. “As dificuldades não se restringem em convencer o governo da necessidade de atender o Pantanal com energia convencional”, explicou o senador. “Existem razões de caráter elétrico, além do acesso”, acrescentou. O diretor de operações da Enersul, Edmir José Bosso, participou da reunião e explicou que a rede terá fundação especial para garantir energia sem interrupções. Mudança radical Para o Sindicato Rural de Corumbá o cadastramento das fazendas apresentado pela Enersul está defasado. O número de imóveis a ser beneficiado pelo programa deve chegar a dois mil. Na região do planalto, 29.700 imóveis foram beneficiados pelo Luz para Todos, com investimentos de R$ 247 milhões. Foram implantados 14 mil km de rede de distribuição. “A energia no Pantanal significará uma mudança fantástica, será uma revolução social, ambiental e econômica”, disse Urbano Gomes Pinto de Abreu, descendente de pantaneiros tradicionais e pesquisador da Embrapa Pantanal. Os fazendeiros disseram ao senador que hoje alguns produtores levam gelo às propriedades de avião para conservar as vacinas para o gado.
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Carreta de cerveja tomba enquanto motorista tentava fazer curva
ACIDENTE

Carreta de cerveja tomba enquanto motorista tentava fazer curva

Com aumento, 'Prévia do PIB' de setembro fecha com saldo positivo
ECONOMIA

Com aumento, 'Prévia do PIB' de setembro fecha com saldo positivo

Após quase cinco anos parada, obra do Aquário é retomada
FUTURO

Após quase cinco anos parada, obra do Aquário é retomada

Baião de dois
RECEITA

Baião de dois

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião