Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CIDADES

Projeto “Bom de Bola, Bom na Escola” vai atender 45 jovens na Capital

Projeto “Bom de Bola, Bom na Escola” vai atender 45 jovens na Capital
29/04/2010 06:12 -


Michelle Rossi

A Polícia Militar de Mato Grosso do Sul e a Fundação Municipal de Esporte (Funesp) assinaram, ontem,  convênio para atender 45 jovens entre 12 e 17 anos no projeto “Bom de Bola, Bom na Escola”. A solenidade aconteceu durante a manhã, no gabinetedo prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad, na Esplanada da Estação Ferroviária.  

Os alunos foram selecionados por diretores e coordenadores de escolas públicas, na região da Vila Nasser, e as aulas de futebol começam nesta semana no Conjunto Poliesportivo. “Investir em segurança é, também, buscar a aproximação da polícia com a comunidade. As ações com os jovens costumam trazer ótimos resultados”, destacou o coronel Carlos Alberto Davi dos Santos, comandante-geral da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul.

A finalidade do projeto é a conciliação do esporte com a cidadania. “Mostramos a ideia para os dirigentes da Fundação de Esporte e fomos prontamente atendidos. Em meio às aulas de esportes também queremos instruir os alunos para que sejam bons cidadãos”, destacou o coronel Davi. Só permanecerão no projeto os alunos que tiverem boas notas no boletim escolar, a ser apresentado aos policiais, mensalmente. Os alunos não podem faltar às aulas e, ainda, têm que estar matriculados na rede pública de ensino.  “Nós tiraremos os jovens de possíveis situações de risco e os colocaremos na prática de esporte”, disse Carlos Alberto de Assis, diretor-presidente da Funesp.

Felpuda


A continuar disparando tantas críticas ácidas contradizendo o seu partido, que em nível nacional ganhou até um ministério, político cá dessas bandas poderá ser colocado de escanteio e, se continuar nessa cruzada nada palatável para as lideranças, ser convidado gentilmente a “procurar o caminhão do qual caiu”, como se diz no popular. Os comentários são de que o dito-cujo age assim mais para ganhar holofotes. Esqueceu-se, pelo que se vê, que poderá ocorrer curto-circuito. Ui!