Campo Grande - MS, sexta, 17 de agosto de 2018

Rede Municipal

Professores terão aumento de no mínimo 10%

30 ABR 2011Por Milena Crestani e Danúbia Burema12h:13

Os professores de Campo Grande terão aumento salarial de no mínimo 10% até outubro deste ano. A proposta foi apresentada ontem pela manhã pelo prefeito Nelsinho Trad (PMDB), durante reunião no Sindicato Campo-Grandense dos Profissionais da Educação Pública (ACP), e aceita pela categoria.

Pelo menos três mil professores ficaram reunidos na ACP durante toda a manhã, na Rua Sete de Setembro, que chegou a ficar fechada por uma hora, entre as ruas Rui Barbosa e 13 de Maio. Com a proposta aceita, as aulas de alguns colégios da Capital, que chegaram a ficar suspensas nesta semana, serão retomadas normalmente na segunda-feira.

Para alguns docentes, que trabalham há mais tempo, o ganho real pode chegar a 25% A regência foi incorporada ao salário dos professores e com isso aqueles recebem gratificação por tempo de trabalho terão reajuste que pode ser superior a 10%. Isso porque o benefício é calculado em cima do salário-base, que teve o aumento.

Os docentes que não contam com nenhum benefício do tipo também terão reajuste garantido como os demais profissionais da categoria, conforme o prefeito Nelsinho Trad. Agora serão concedidos 6,5% e em outubro haverá reajuste linear de 3%. Quem ainda não tiver atingido o aumento de 10% receberá mais 0,5% para que todos tenham atingido o mesmo percentual. 

Alguns professores com nível superior – que não recebem a gratificação por tempo de serviço e estão na categoria logo acima do magistério – recebem hoje salário de R$ 978,74 e regência de R$ 440,43. O salário final ficará em R$ 1.419,17, o mesmo que já recebem atualmente. “Como esses profissionais não recebem nenhuma gratificação, terão o reajuste de 6,5% agora e o restante em outubro”, esclareceu a assessoria de imprensa do sindicato. 

Os professores permanecem reunidos na ACP. Nelsinho disse que no ano passado teve de tirar R$ 18 milhões da consta de investimentos da prefeitura para cobrir a folha de pagamento dos professores porque os recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) não foram suficientes. Neste ano, esse valor pode chegar a R$ 25 milhões. “Esse reajuste (de 10%) é o máximo que posso oferecer”, disse. 
 

Leia Também