sábado, 21 de julho de 2018

Professores e servidores do Estado entram na Justiça para serem atendidos pela Cassems

26 AGO 2009Por 22h:00
     

 

Professores da rede estadual de ensino, filiados ao Sindicato dos Trabalhadores em Educação, decidiram nesta quarta-feira, em assembleia na escola João Leite de Barros, recorrer à Justiça para voltar a receber atendimento pelo Hospital de Caridade de Corumbá.

Tudo porque o atendimento particular aos conveniados da Cassems (Caixa de Assistência dos Servidores do Estado de Mato Grosso do Sul) está suspenso pela instituição hospitalar. Os pacientes e dependentes do plano de saúde estão sendo atendidos como usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).

A direção do Hospital discorda da proposta de ajuste na tabela apresentada pela Cassems porque os valores estariam defasados. A Cassems teria encaminhado uma proposta de 60% sobre uma tabela de cinco anos atrás, informou a direção. Os dois últimos repasses feitos foram de R$ 6 mil e R$ 20 mil. A última fatura, apresentada no dia 04 de agosto, e encaminhada para a Cassems, estava na faixa dos R$ 55 mil.

 

Da assembleia desta quarta-feira, além dos professores, também participaram representantes de outras categorias de servidores do Estado, como Polícias Civil, Militar, Bombeiros, Polícia Ambiental, Agepen e Saúde. ?Decidimos por meio de votação, que todos os segmentos estaduais de Corumbá entrarão com um mandado de segurança pedindo a suspensão do repasse de verbas para a Cassems da cidade, até que se resolva a questão de atendimento aos servidores estaduais de Corumbá?, explicou o presidente do Sinted, Luízio Spinoza.

 

Ainda de acordo com Luízio, outro mandado de segurança também será impetrado contra a Associação Beneficente Corumbaense, que administra o hospital de caridade, pedindo o retorno do atendimento aos pacientes da Cassems. "Nessa medida judicial iremos solicitar ainda o reembolso dos servidores que tiveram gastos com atendimento de saúde particular por causa desse impasse", afirmou.

 

 

Com informações do Diarionline.com.br/JP

         

Leia Também