Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

Professor é assassinado no Aero Rancho

27 SET 2010Por 08h:07

karine cortez

O professor José Miguel da Silva, 55 anos, foi assassinado com quatro golpes de faca. O crime aconteceu na madrugada de ontem, por volta das 2h40min, dentro da residência da vítima, situada na Rua Garanhuns, sem número, no Bairro Aero Rancho, em Campo Grande.
Em busca de socorro, José Miguel acabou saindo de casa só de cueca e caiu morto a cerca de 15 metros, na rua. Testemunhas disseram à polícia que ouviram gritos: “Ladrão, ladrão, polícia, polícia” e depois silêncio.
O delegado Luiz Tomaz de Paula Ribeiro, que esteve no local, disse que o fato foi registrado como homicídio porque também há suspeita de latrocínio – morte seguida de roubo, levando em conta que a carteira da vítima estava jogada, sem dinheiro, no capô do carro dela, um Fiat Pálio que se encontrava estacionado na garagem. Alguns documentos, como a Carteira Nacional de Habilitação também foram jogados no teto do veículo.
As manchas de sangue foram encontradas pela casa, começando no quarto, seguindo pela sala até o lado de fora da residência, indicando que o primeiro golpe de faca aconteceu dentro do quarto de José Miguel.

Outras mortes
Na noite de sábado, duas pessoas foram assassinadas em cidades do interior do Estado. Às 21h, Hilton Riquelme Benites, 37 anos, foi morto com golpes de foice, na Aldeia Sássaro, em Tacuru, município distante 416 quilômetros de Campo Grande.
De acordo com a Polícia Civil, a vítima estava consumindo bebida alcoólica na companhia de uma mulher e de um adolescente. Hilton começou a brigar com o menor e foi agredido com vários golpes de foice na cabeça, pescoço e braço, morrendo no local. A mulher, cuja identificação não foi divulgada, também ficou ferida.
Em Batayporã, cidade situada a 306 quilômetros de Campo Grande, Claudomiro Gonçalves, 35 anos, foi assassinado com um golpe de faca no pescoço. O fato aconteceu às 22h e dois suspeitos foram identificados, mas para não atrapalhar as investigações os nomes serão preservados.

Leia Também