Domingo, 25 de Fevereiro de 2018

CUSTO DOS ALIMENTOS

Produtos natalinos estão 9,5% mais caros

15 DEZ 2010Por ADRIANA MOLINA02h:55

O preço da cesta básica com produtos natalinos em Campo Grande ficou 9,5% mais caro neste ano, em comparação com 2009, segundo pesquisa feita pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais (Nepes), da Universidade Anhanguera-Uniderp. O índice é maior que a inflação acumulada na Capital no período, que é de 5,93%.

Dos 57 itens analisados pelo levantamento, 37 apresentaram aumento nos preços. Os produtos que mais encareceram nos últimos 12 meses, foram o feijão, com incremento de 109,77%, a laranja, que teve alta de 84,95%, a capa de contrafilé, que subiu 76,79%, a uva, que ficou 66,67% mais cara, seguida do queijo minas (+51,46%) e a castanha do Pará com casca (+ 49,5%).

Os produtos típicos da época como o peru, chester e vinho branco podem ser encontrados até 16,99%, 17,42% e 35,78%, mais caros respectivamente, dependendo do estabelecimento onde for comprado. Panetones e biscoitos subiram em média 3,28%; frutas 33,43%; cereais (arroz e feijão) 54,54%; bebidas 6,27%; leite e derivados 21,38%; farinhas e massas 8,88%; e carnes e derivados 23,92%.

Entre as carnes, chamou a atenção a capa de contrafilé, que teve alta de 76,79%. Em seguida, obteve alta expressiva o contrafilé, que em 12 meses ficou 46,29% mais caro. A alcatra e costela de cordeiro subiram 33,95% e 36,18%.

Quedas
Entretanto, no mesmo período, ficaram mais baratos os preços da cebola (-53,54%), alface (-16,85%), o tomate (-29,53%), e o frango (-10,84%), que foram os alimentos com quedas mais expressivas na pesquisa. No geral, as verduras e legumes tiveram preços reduzidos, em média 30,75%.

Os produtos importados, muito consumidos nesta época, neste ano estão 13,76% mais baratos. "Isso se deve à forte valorização do real frente ao dólar", explicou o coordenador do Nepes, Celso Correia de Souza. As maiores quedas no grupo foram do filé de merluza (-37,43%), nozes (-37,92%) e whisky (-9,07%).

Leia Também