Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, domingo, 18 de novembro de 2018

TECNOLOGIA

Produtos dos anos 1950 podem ter inspirado designs da Apple

10 SET 2012Por TERRA17h:43

Parte do sucesso obtido pelos produtos da Apple nos últimos 15 anos é atribuído à originalidade de suas ideias aliada à inovação presente em seus designs. No entanto, comparativos divulgados pelo site Cult of Mac, parecem evidenciar que mesmo uma das empresas de tecnologia mais inovadoras do mundo pode ter se inspirado em dispositivos já existentes: no caso, eletrônicos das décadas de 1950, 60 e 70 criados pela companhia alemã Braun. As informações são do Daily Mail.

As imagens sugerem que diversos aparelhos da empresa americana contêm muitas semelhanças com o desenho simples prezado pelos especialistas da Braun há mais de 60 anos - em alguns casos. O iPod original, lançado em 2001, por exemplo, tem um design comparável ao rádio de bolso T3 da Braun, de 1958; o PowerMac G5, o iMac de 2007 e até a calculadora do iPhone parecem conter influência do trabalho desenvolvido pela Braun.

Steve Jobs, fundador da Apple, e Jonathan Ive, vice-presidente de design industrial, admitiram sua admiração pelo trabalho do designer Dieter Rams, da Braun. O legado da empresa alemã havia servido de inspiração à Apple em diversas outras oportunidades: vários produtos e aplicativos tiveram seu design inspirado por criações da Braun. Entre os mais recentes, estão os apps de podcasts e música.

Ao contrário do que aconteceu com a Samsung, contra quem entrou - e acabou vencendo - uma disputa judicial por violação de patentes, a Apple parece manter uma relação amistosa com a Braun. Ou, pelo menos, com seu principal designer, Dieter Rams: em seu livro lançado em 2011, constam palavras escritas por Jony Ive exaltando o trabalho do alemão. Entende-se que Rams vê as semelhanças nos produtos da Apple como uma forma de homenagem.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também