Produtores rurais têm condições especiais para regularizar dívidas com o BB

Produtores rurais têm condições especiais para regularizar dívidas com o BB
27/07/2012 22:00 - AGÊNCIA BRASIL


Os produtores rurais que têm dívidas vencidas com o Banco do Brasil (BB) até 30 de junho deste ano estão sendo chamados para renegociar os débitos em condições especiais até o final do mês de setembro, segundo informou hoje (26) o gerente executivo da Diretoria de Reestruturação de Ativos do BB, Oldemir Senner Geng.

Geng disse que há em torno de 250 mil contratos inadimplentes, com os mais distintos valores possíveis, muitos deles já renegociados no ano passado, de modo que fica difícil estimar um valor total passível de renegociação. Ele ressaltou, no entanto, que é um número significativo, uma vez que oportunidade semelhante, oferecida em 2011, recalculou dívidas no total de R$ 2,3 bilhões. O gerente executivo explicou que as condições de agora são melhores do que as do ano passado, pois além de juros menores é possível flexibilizar o percentual de entrada mínima para renegociação, que era 20% e agora cai para 10%, e parcelar o débito em até dez anos. Quanto maior a entrada, melhores as condições para recálculo dos encargos financeiros.

De acordo com o gerente do BB, as operações serão analisadas caso a caso, em razão da diversidade de situações e da existência de dívidas de agricultores que não são mais clientes do banco. Segundo Geng, qualquer que seja a situação, o BB tem interesse em fortalecer o relacionamento com a produção rural e contribuir para que seus agentes mantenham a atividade produtiva.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".