Produtor de soja não consegue cobrir custo de produção das lavouras

Produtor de soja não consegue cobrir custo de produção das lavouras
22/03/2010 01:10 -


Mesmo com a boa produtividade na maior parte das lavouras de soja os produtores estão reclamando muito pois, com os preços atuais da saca em R$ 27 a R $ 28, a g ra nde ma ior i a não va i consegu i r cobri r os custos de produção das lavouras. Especialmente, os que plantaram em áreas arrendadas. Conforme analisa o corretor de commodities Pedro Calgaro, que atua na região nordeste do Estado, quando a saca de soja estava cotada a R$ 31 e R$ 32, semanas atrás, ainda podia se dizer que a excelente produtividade compensaria as cotações baixas da oleaginosa no mercado. “Mas agora, que o preço caiu ainda mais e está na faixa dos R$ 28 os produtores estão chiando muito e preocupados com os prejuízos”, afirma Calgaro. Na região de Chapadão do Sul 90% das lavouras de soja estão colhidas e foram poucas as perdas na sojicultura, segundo o corretor. “Na média, estão sendo colhidas 50 sacas por hectare na região”, afirma, salientando no entanto que o preço baixo não vai remunerar o produtor. Na região sul do Estado, na Grande Dourados e no extremo- sul calcula-se que 80% da soja esteja colhida. Só na região de Sidrolandia, Jardim e Bonito a colheita está mais atrasada. No Estado, calculase que de 75% a 80% da safra de soja estejam colhidos. Segundo o corretor Vilmar Hendges, se o preço da soja está ruim hoje, “há espaço para cair ainda mais”, garante ele. Segundo sua avaliação, Rio Grande do Sul e Santa Catarina estão iniciando a colheita de suas safras. “E a Argentina ainda nem começou a colher. A hora que toda essa soja chegar ao mercado, deve haver novas quedas nas cotações”, prevê pessimista o corretor de Campo Grande. (MH)
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".