Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Produto é vendido sem receita

28 JUL 10 - 05h:50
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) permite a venda e o uso de suplementos sem a necessidade de receita médica. De acordo com Roberto Clerc, gerente de estabelecimento especializado na venda desses produtos em Campo Grande, a procura é razoável e dificilmente ele fica sem vender. “Há épocas em que as pessoas procuram mais, como antes das férias de final de ano e no começo do verão. Quando o tempo esfria, a busca diminui”, conta.
Ele afirma que o público que procura a loja é formado por atletas, pessoas que receberam recomendação médica e, principalmente, praticantes de musculação. “Acontece muito das pessoas não saberem o que devem comprar, qual o melhor composto para aquilo que ela busca. Procuramos sempre oferecer aquilo que acreditamos se encaixar no que a pessoa espera”, detalha Roberto. Contudo, ele defende que quem procura suplementos deveria buscar orientações com profissionais.
Embora seja legalizado no Brasil – diferentemente dos esteroides anabolizantes que são usados de maneira ilícita para ganho de massa muscular – acontece de alguns suplementos serem apreendidos nas regiões de fronteira. “Isso se dá pois os produtos são trazidos de maneira ilegal, sem que sejam pagos os impostos. Também acontece de alguns produtos que não são liberados pela Anvisa serem trazidos para o País sem conhecimento tanto dos vendedores, quanto dos consumidores. É importante se atentar a essas questões”, pontua Aluísio Fernandes.

Consumidores
Não são todos que atingem os resultados esperados com o uso dos suplementos nutricionais. Este é o caso do estudante André Calixto Jank, de 19 anos, que passou cerca de um ano usando suplementos proteicos, mas desistiu por não sentir os efeitos e em razão da grande quantidade de dinheiro despendida nos produtos. “Eu usava diariamente e comprava um pote a cada dois meses. Sou jogador de futebol e, como era muito magro, precisava ganhar massa muscular”, conta.
Ele procurou ajuda com amigos para decidir que produto comprar. “Não procurei nenhum médico, pois não achei necessário. Tenho um amigo que usa suplementos há algum tempo e ele me indicou o que eu acabei comprando”, explica. Atualmente, André procura fazer refeições ricas em alimentos que contenham proteínas, como carnes, para melhorar seu desempenho como jogador. (TA)
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

ARTIGO

Fausto Matto Grosso: "O pacote Mais Brasil"

Engenheiro civil e professor aposentado da UFMS
OPINIÃO

Marco Aurélio Pitta: "Nova chance para os 'contribuintes legais'"

Profissional da área contábil e tributária

Felpuda

ALIANÇA PELO BRASIL

Bolsonaro admite que pode presidir novo partido

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião